Mercado fechado

Após se encontrar com Huawei, Bolsonaro cita interesse de coreanos no 5G

Fabio Murakawa

Presidente diz que "apenas ouviu" os representantes chineses no encontro realizado nesta segunda-feira no Palácio do Planalto O presidente Jair Bolsonaro comentou ao chegar ao Palácio da Alvorada o encontro que teve com o CEO da Huawei no Brasil, Wei Yao, dizendo que apenas ouviu o chinês, que esteve horas mais cedo no Palácio do Planalto. Bolsonaro disse ainda que há uma empresa sul-coreana interessada em concorrer com a Huawei no leilão do 5G, previsto para o ano que vem.

De acordo com Bolsonaro, o encontro serviu para que Wei apresentasse a empresa ao presidente e demonstrasse interesse em instalar a tecnologia 5G no Brasil.

"Apenas ouvi, eu apenas ouvi", disse Bolsonaro a jornalistas. "Não foi feita a proposta, ele apenas mostrou que quer 5G no Brasil."

Segundo Bolsonaro, o Brasil levará em conta no leilão "a melhor oferta".

"Fiquei sabendo que tem uma empresa sul-coreana também está em condições para operar 5G", afirmou. A melhor oferta a gente vai... a gente vai olhar para o lado do que oferta, né? E conectividade, ai sim."

O presidente Jair Bolsonaro recebe Zou Zhilei, presidente da Huawei para a América Latina, no Palácio do Planalto

Marcos Corrêa/PR

A Huawei é uma das principais fornecedoras de tecnologia para a infraestrutura do 5G no mundo. A empresa tornou-se alvo da disputa comercial entre Estados Unidos e China, com pressão dos americanos para que países rejeitem a fornecedora.

O leilão de 5G no Brasil deve acontecer até o final do ano que vem. As fabricantes têm realizado testes com as operadoras locais. Huawei, Ericsson e Nokia já são fornecedoras das empresas de telecomunicações no Brasil.

Além delas, outras companhias no mundo vem se movimentando para ganhar espaço no fornecimento para a tecnologia, como a coreana Samsung e a japonesa NEC.