Mercado fechado
  • BOVESPA

    118.811,74
    +1.141,84 (+0,97%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.352,18
    -275,49 (-0,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    59,63
    +0,31 (+0,52%)
     
  • OURO

    1.732,60
    -0,10 (-0,01%)
     
  • BTC-USD

    60.117,13
    +387,77 (+0,65%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.288,55
    -6,03 (-0,47%)
     
  • S&P500

    4.127,99
    -0,81 (-0,02%)
     
  • DOW JONES

    33.745,40
    -55,20 (-0,16%)
     
  • FTSE

    6.889,12
    -26,63 (-0,39%)
     
  • HANG SENG

    28.453,28
    -245,52 (-0,86%)
     
  • NIKKEI

    29.538,73
    -229,33 (-0,77%)
     
  • NASDAQ

    13.824,75
    -4,75 (-0,03%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,8297
    +0,0655 (+0,97%)
     

Após sábado caótico, vacinação de idosos acima de 80 anos é mais rápida no domingo (28) em SP

ARTUR RODRIGUES
·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Após demora de até cinco horas no 1º dia, a vacinação de idosos de 80 a 84 anos contra o coronavírus nos drive-thrus na cidade de São Paulo segue com mais velocidade neste domingo (28). A reportagem esteve em três dos drive-thrus da capital paulista. Nos locais, ouviu relatos de espera que variam entre 5 minutos e uma hora. No Pacaembu (zona oeste de São Paulo), onde a reportagem conversou no sábado (27) com pessoas que haviam esperado mais de cinco horas, a situação era totalmente diferente. A fila de veículos travados por horas desapareceu e os carros das pessoas que aguardam a imunização estão concentrados apenas na praça Charles Miller. Iblen Galib, 80, havia chegado cinco minutos antes ao Pacaembu e já estava próximo de ser atendido. "Ontem estava o caos, vi na TV pessoas esperando sete horas e nem saí de casa", relata. Já Ruth Monteiro de Souza, 84, chegou a ir até o Pacaembu no sábado e desistiu. "Fui embora porque havia muita espera. Hoje, cheguei há 15 minutos e estou neste ponto [perto da área de vacinação]", disse. Diferentemente de sábado, a organização conseguiu canalizar veículos para apenas uma fila única --uma das grandes reclamações no dia anterior era de pessoas que furavam a fila ou eram atendidas muito antes das demais a depender do caminho que fizeram para chegar ao estádio. No drive-thru do Anhembi (zona norte) a situação também era tranquila. Rapidamente os motoristas percorriam a avenida Olavo Fontoura, onde fica o complexo. Segundo relatos ouvidos no local na manhã de domingo, a espera não ultrapassava os 15 minutos. Neste domingo, a Prefeitura de São Paulo inaugurou um novo drive-thru no Clube Hebraica, na região de Pinheiros (zona oeste). Ali, a espera era um pouco maior, de pouco menos de uma hora, mas a fila seguia organizada. O motorista Rui Paulino, 42, disse que demorou cerca de uma hora para chegar até a área próxima da entrada. No banco de trás, ele levava a tia Enilda Rocha, 81, para ser vacinada. "Estou morrendo de medo", comentou com a reportagem. Já Marli Costa, 80 anos, disse estar ansiosa. Ela aguardava há 55 minutos na fila, mas não demonstrava pressa. "Fiquei um ano sem ver minha filha assim de perto", disse, acrescentando que aproveitou para colocar a conversa em dia. Na Hebraica, os veículos entram no estacionamento subterrâneo do clube e ali são atendidos. No tempo que a reportagem esteve no local, eram atendidos até oito veículos por vez. De acordo com a assessoria do clube, a vacinação ocorrerá das 8h às 17h e não há distinção de filas ou acesso para sócios. As população entre 80 e 84 anos está sendo vacinada com doses do imunizante AstraZeneca-Oxford. Enfermeiras tem adotado o procedimento de mostrar a seringa cheia antes de aplicar a injeção e o objeto vazio, após a aplicação, num protocolo que garante à pessoa que foi mesmo imunizada.