Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.523,47
    -1.617,17 (-1,47%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.049,05
    +174,14 (+0,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,23
    -2,65 (-3,49%)
     
  • OURO

    1.877,70
    -53,10 (-2,75%)
     
  • BTC-USD

    23.348,68
    -1,28 (-0,01%)
     
  • CMC Crypto 200

    535,42
    -1,43 (-0,27%)
     
  • S&P500

    4.136,48
    -43,28 (-1,04%)
     
  • DOW JONES

    33.926,01
    -127,93 (-0,38%)
     
  • FTSE

    7.901,80
    +81,64 (+1,04%)
     
  • HANG SENG

    21.660,47
    -297,89 (-1,36%)
     
  • NIKKEI

    27.509,46
    +107,41 (+0,39%)
     
  • NASDAQ

    12.616,50
    -230,25 (-1,79%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5385
    +0,0488 (+0,89%)
     

Grupo rouba bitcoins de corretora e distribui dinheiro na rua

Jordan Robinson Kelly Caton Stephen Boys
Jordan Robinson Kelly Caton Stephen Boys

Uma gangue de quatro pessoas foi presa por roubar R$ 131 milhões em criptomoedas entre outubro de 2017 e janeiro de 2018. Eles descobriram uma falha que lhes permitiam sacar fundos ilimitados de uma plataforma australiana de criptomoedas.

O líder do grupo composto por três homens e uma mulher, James Parker, morreu em 2021 antes que pudesse ser acusado de planejar o esquema. Ele descobriu a falha e orquestrou a fraude de sua casa em 2017.

De acordo com o tribunal que cuidou do caso, a falha permitiu que ele e seus amigos desviassem mais de 20 milhões de libras em criptomoedas em um período de três meses — que foram gastos em produtos de luxo, como carros, relógios caros, roupas de grife e refrigeradores de vinho sofisticados.

“Esses criminosos usaram a Internet no conforto de suas próprias casas para obter dezenas de milhões em Bitcoin que não pertenciam a eles. O crime cibernético apresenta uma ameaça crescente à estabilidade econômica internacional, bem como aos investidores individuais honestos em criptomoedas.” — disse um porta-voz da polícia.

Durante o processo de investigação, a polícia conseguiu recuperar 445 bitcoins, cerca de 48 milhões de reais, além de imóveis comprados em nome dos envolvidos, carros de luxo e produtos de grife, incluindo 6 milhões em contas bancárias.

“Uma quantidade muito significativa dos ativos lavados foi devolvida ou está em processo de recuperação em nome da corretora australiana de criptomoedas.”

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Golpistas ganharam tanto dinheiro que distribuíram dinheiro na rua e compraram carros para estranhos

O esquema rendeu tanto dinheiro ao grupo que eles distribuíram vales-presente de 30 mil reais nas ruas e compraram carros de luxo para estranhos em bares da cidade.

De acordo com a polícia da cidade, a escala da fraude neste caso foi tão impressionante que o grupo não sabia como gastar o dinheiro.

Outros membros do grupo, Kelly Caton e Jordan Robinson, sacaram £ 2,7 milhões e £ 1,7 milhões de suas contas, respectivamente. O consultor financeiro do líder do grupo, Stephen Boys, conseguiu ajuda de um cidadão dos Emirados Árabes para converter as criptomoedas em dinheiro. Os fundos foram então lavados através de várias contas online estrangeiras.

Prisão

Todos os membros do grupo criminoso foram presos, Boys, de 59 anos, foi condenado a seis anos de prisão. Robinson, de 24, recebeu pena de quatro anos e meio por cometer fraude, dois anos por aquisição de propriedade criminosa e dois anos por conversão de propriedade criminosa.

Caton, de 45, recebeu uma sentença de quatro anos e meio por conspiração para cometer fraude, dois anos por aquisição de propriedade criminosa e dois anos por conversão de propriedade criminosa.

Por fim, Auston-Beddoes, 28 anos, foi condenado a um ano e meio por conspiração para cometer fraude, bem como um ano por aquisição de propriedade criminosa e um ano por conversão de propriedade criminosa.

Fonte: Livecoins

Veja mais notícias sobre Bitcoin. Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.