Mercado fechado

Após queda na exportação em fevereiro, Cecafé vê embarque 'semelhante' até junho

SÃO PAULO (Reuters) - As exportações de café verde do Brasil em fevereiro totalizaram 2,42 milhões de sacas de 60 kg, recuo de 25,7% em relação a igual período do ano passado, em um mês com menos dias úteis e pela oferta reduzida do produto no país, disse nesta terça-feira o Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé).

Os embarques de café arábica do país somaram 2,2 milhões de sacas no período, queda de 27,7%, enquanto as exportações de café robusta registraram leve alta de 3,3%, a 219 mil sacas, acrescentou a entidade.

A receita com as exportações no mês passado foi de 361,4 milhões de dólares, retração de 23% no ano a ano, apesar de um aumento de 1,8% no preço médio da saca, segundo o Cecafé.

"A safra 2019/2020 foi menor do que a anterior, resultando em uma redução de embarques. Tudo indica que teremos desempenho semelhante até junho, quando termina a entressafra e se inicia a colheita da nova safra", disse em nota o presidente do Cecafé, Nelson Carvalhaes.

No acumulado do primeiro bimestre de 2020, o Brasil exportou 6,2 milhões de sacas de café, recuo de 12% em relação a igual período de 2019, com uma baixa de 16,3% nos embarques de arábica superando o crescimento das vendas de café robusta (+22,1%) e solúvel (+9,2%).

De acordo com o Cecafé, os Estados Unidos seguem como o principal destino do café brasileiro, importando 1,2 milhão de sacas nos dois primeiros meses do ano, seguido de perto pela Alemanha, que adquiriu 1,1 milhão de sacas.

Os maiores crescimentos foram registrados nos embarques para Suécia (+28,5%, a 140,5 mil sacas) e Rússia (+28,2%, a 207,5 mil sacas), destacou o Cecafé.

"Toda a cadeia do agronegócio café segue trabalhando com foco na qualidade e sustentabilidade e observando os movimentos do mercado internacional de maneira a continuar atendendo as demandas e exigências dos importadores com alto padrão de qualidade", concluiu Carvalhaes.


(Por Gabriel Araujo)