Mercado fechado

Após pressão de deputadas, Doria recua e retoma jantar em unidades do Bom Prato

FÁBIO ZANINI
·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O governador João Doria (PSDB) recuou da decisão de cortar jantar das unidades do programa Bom Prato em São Paulo, que havia sido anunciada na quarta-feira (2). Os restaurantes também continuarão funcionando de domingo a domingo, em esquema implementado no estado durante a pandemia do novo coronavírus. Os jantares voltarão a ser fornecidos a partir de segunda-feira (7). O recuo do tucano foi anunciado durante reunião com parlamentares da Assembleia Legislativa nesta quinta-feira (3). Questionado sobre o tema pelas deputadas estaduais Janaina Paschoal (PSL) e Marina Helou (Rede), Doria acionou a secretária de Desenvolvimento Social, Célia Parnes, e deliberou então que o corte deveria ser suspenso. O corte programado tinha como argumento uma alegada "falta de demanda". "Disse ao governador que sei que a situação financeira é difícil, mas ainda estamos em uma pandemia e as pessoas estão sofrendo consequências, há consequências à nutrição delas. Pedi que ele avaliasse com a equipe", diz Janaina. "Fizeram ali uma mini-reunião de governo, com os deputados presentes, e deu como oficial na hora que retomariam os jantares no Bom Prato", completa. As refeições no Bom Prato custam R$ 0,50 (café da manhã) e R$ 1 (almoço e jantar), e atualmente o estado administra 59 unidades do Bom Prato, 22 delas na capital. "O governador João Doria determinou na tarde desta quinta-feira (3) o retorno da oferta de jantar em todas as unidades do Bom Prato a partir desta segunda-feira (7). Os jantares voltam a ser oferecidos de domingo a domingo", disse o governo de São Paulo em nota.