Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.580,79
    +234,97 (+0,21%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.304,04
    -72,85 (-0,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,26
    -0,03 (-0,03%)
     
  • OURO

    1.865,50
    +17,70 (+0,96%)
     
  • BTC-USD

    29.531,88
    +115,77 (+0,39%)
     
  • CMC Crypto 200

    655,31
    -0,52 (-0,08%)
     
  • S&P500

    3.941,48
    -32,27 (-0,81%)
     
  • DOW JONES

    31.928,62
    +48,38 (+0,15%)
     
  • FTSE

    7.484,35
    -29,09 (-0,39%)
     
  • HANG SENG

    20.112,10
    -357,96 (-1,75%)
     
  • NIKKEI

    26.748,14
    -253,38 (-0,94%)
     
  • NASDAQ

    11.810,75
    -224,50 (-1,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1740
    +0,0263 (+0,51%)
     

Após Nubank, estas startups brasileiras estudam vender suas ações nos EUA

·1 min de leitura

O Nubank aparentemente fez escola ao abrir suas ações na Bolsa dos EUA e na B3 brasileira ao mesmo tempo no ano passado. Pelo menos dez startups brasileiras estudam realizar IPO nos Estados Unidos a partir de 2022 segundo a Pitchbook, consultoria que analisa ações de empresas para rodadas de oferta pública inicial.

Algumas das companhias listadas pela pesquisa estão marcas famosas como a Creditas, Loft, QuintoAndar, Loggi, MadeiraMadeira, Merama, Facility, Cloudwalk, Wildlife Studios e CargoX. A Pitchbook também cita startups latinas que já atuam no Brasil, como a colombiana Rappi e a foodtech chilena NotCo.

Todas elas estão com valor de mercado acima de US$ 500 milhões (R$ 2,7 bilhões), portanto estariam aptas para abrir o capital em terras norte-americanas. As empresas que realizaram IPO nos Estados Unidos no ano passado conseguiram, em média, uma avaliação de US$ 630,8 milhões (R$ 3,4 bilhões).

Gabriel Braga e André Penha, do QuintoAndar; empresa também deve abrir IPO (Imagem: Divulgação/QuintoAndar)
Gabriel Braga e André Penha, do QuintoAndar; empresa também deve abrir IPO (Imagem: Divulgação/QuintoAndar)

Mas são poucas as empresas dessa lista com planos avançados para vender suas ações. Uma delas é a Creditas, que nesta semana foi avaliada em US$ 4,8 bilhões (R$ 26,2 bilhões) em rodada de US$ 260 milhões (R$ 1,4 bilhão). Com isso, espera valer na Bolsa entre US$ 7 bilhões e US$ 10 bilhões (R$ 38,2 bilhões a R$ 54,6 bilhões), o que a colocaria como a maior oferta de uma empresa brasileira este ano.

Além dela, o QuintoAndar fez alguns movimentos nas últimas semanas que podem ser lidos como preparativos pré-IPO. Por exemplo, comprou parte de uma empresa argentina que a levou a expandir sua operação em cinco países latinos. Também reposicionou sua marca.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos