Mercado fechado

Após mais de 24 horas de terror, governador Wilson Witzel ainda não se manifestou sobre a violência no Rio

·2 minutos de leitura
O governador Wilson Witzel
O governador Wilson Witzel

Após mais de 24 horas de terror no Rio, com tiroteios e reféns mantidos na mira de bandidos em fuga, o governador Wilson Witzel ainda não veio a público se manifestar sobre a violência que tomou parte da cidade. Nas redes sociais, suas postagens mais recentes trataram de temas como o Regime de Recuperação Fiscal e políticas para a infância e a adolescência, mas sem menção alguma aos sucessivos fatos que começaram por volta das 13h30m desta quarta-feira, com confronto na Avenida Borges de Medeiros, na Lagoa, e perseguição no Túnel Rebouças.

No Twitter, a última publicação de Witzel foi pouco antes das 15h desta quinta-feira, quando a polícia já negociava a libertação de uma família mantida refém num sobrado da Rua Maia Lacerda, nas imediações do Morro do São Carlos, no Estácio. Enquanto a tensão aumentava na região, o governador postou sobre a determinação do Tribunal de Contas da União (TCU) de manter o Rio no Regime de Recuperação Fiscal.

"É fundamental para as finanças do Estado. E se justifica por termos cumprido todas as exigências pedidas. O plano foi homologado com duração de 6 anos e não há razão para exclusão do RJ", escreveu ele.

Já no Facebook, o assunto foi a a Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla.

"Aproveitei a data para visitar a sede da Fundação para a Infância e Adolescência Fia-RJ. Conversei com os funcionários e ouvi as demandas das entidades que fazem parte dos programas conveniados", publicou.

Na mesma rede social, até as 16h desta quinta-feira, o post mais recente na conta oficial do governo do Rio até abordava a questão da segurança pública, mas era um "tbt" (abreviação de throwback thursday, usada por internautas para reviver assuntos e fotos do passado), lembrando da inauguração da base do Segurança Presente em Magé.

No mesmo horário, no Instagram, também permanecia o silêncio sobre os fatos ocorridos nas últimas 24 horas. Perto das 13h, eram publicadas fotos do governador na sede da Fia, ao lado de funcionários da entidade.

A Polícia Militar, por sua vez, informa que o patrulhamento ostensivo atua de forma intensificada na região dos bairros Catumbi, Estácio e Rio Comprido nesta quinta-feira, após grupos criminosos terem entrado em confronto nessa área central da cidade do Rio.

"As intervenções das equipes policiais deslocadas para a região resultaram, até o momento, na apreensão de seis fuzis, quatro pistolas, artefatos explosivos, munições, drogas e sete detidos", informou a PM.

As ocorrências estão sendo encaminhadas para a 6ª DP (Cidade Nova), a 19ª DP (Tijuca) e a Delegacia de Homicídios.