Mercado fechado
  • BOVESPA

    125.052,78
    -1.093,88 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.268,45
    +27,94 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,17
    +0,26 (+0,36%)
     
  • OURO

    1.802,10
    -3,30 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    33.809,61
    +1.365,73 (+4,21%)
     
  • CMC Crypto 200

    786,33
    -7,40 (-0,93%)
     
  • S&P500

    4.411,79
    +44,31 (+1,01%)
     
  • DOW JONES

    35.061,55
    +238,20 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    27.321,98
    -401,86 (-1,45%)
     
  • NIKKEI

    27.548,00
    +159,80 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.091,25
    +162,75 (+1,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1216
    +0,0014 (+0,02%)
     

Após maior IPO do ano em NY, restrições na China derrubam preço de ações da Didi

·1 minuto de leitura

Menos de uma semana depois de conseguir US$ 4,4 bilhões (quase R$ 23 bilhões) em sua oferta pública de ações (IPO) na bolsa de valores de Nova York, a Didi Global enfrenta, nesta terça-feira (6), uma queda de quase 23% no preço dos títulos. Este é o primeiro dia de trabalho desta semana nos EUA, já que os mercados americanos estavam fechados pelo Dia da Independência (4 de julho).

O movimento ocorre depois que o órgão de administração do ciberespaço (CAC) da China retirou o app da empresa das lojas de aplicativos do país no domingo (4). A entidade aponta a necessidade de proteção da segurança nacional e o interesse público como motivos para a exclusão do app.

Por enquanto, a CAC investiga a forma como a empresa trata os dados de clientes, mas já indicou que a Didi faça alterações no sistema para cumprir as regras locais. Fontes ouvida pelo The Wall Street Journal indicam que a empresa foi advertida a examinar a segurança de sua rede antes de apresentar seu IPO. Como não o fez, há discussões sobre a governança corporativa da organização.

Imagem: Divulgação/99
Imagem: Divulgação/99

Em comunicado enviado à Reuters, a Didi informa que o serviço continua disponível para usuários que já baixaram o app. Mesmo assim, a proibição da presença do aplicativo nas lojas virtuais pode ter impacto negativo em sua receita na China.

A situação não é irreversível, mas analistas afirmam que ela afasta investidores. Isso pode, certamente, afetar os planos de crescimento da companhia. Como pratica preços muito baixos, a Didi Global tem expectativa de crescimento bastante elevada. No Brasil, a companhia é dona do app de transportes 99.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos