Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.296,18
    -1.438,83 (-1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.889,66
    -130,39 (-0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,98
    +1,48 (+1,79%)
     
  • OURO

    1.793,10
    +11,20 (+0,63%)
     
  • BTC-USD

    61.229,85
    -1.485,91 (-2,37%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.453,34
    -49,69 (-3,31%)
     
  • S&P500

    4.544,90
    -4,88 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    35.677,02
    +73,94 (+0,21%)
     
  • FTSE

    7.204,55
    +14,25 (+0,20%)
     
  • HANG SENG

    26.126,93
    +109,40 (+0,42%)
     
  • NIKKEI

    28.804,85
    +96,27 (+0,34%)
     
  • NASDAQ

    15.324,00
    -154,75 (-1,00%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5808
    -0,0002 (-0,00%)
     

Após kombi enguiçar, noivos ganham carona do Segurança Presente para chegar à igreja

·4 minuto de leitura

RIO — Diz a tradição que o noivo ver a noiva antes da cerimônia traz má sorte para a união. Não se sabe o que de fato pode acontecer para quem quebra a superstição, mas um casal de Niterói, Região Metropolitana do Rio, decidiu arriscar e viveu momentos de sufoco pouco antes de se casar na manhã deste sábado, dia 25. Os dois estavam juntos a caminho da igreja em uma kombi personalizada quando, de repente, o veículo enguiçou na Estrada Caetano Monteiro, em Pendotiba. Parecia ser a concretização dessa crendice popular. Felizmente, só parecia.

Enquanto o noivo, de terno, empurrava a kombi no meio da pista, a noiva, de vestido branco, chorava dentro do veículo. Ela tinha certeza que perderia a hora do casamento. Mas a salvação veio graças a uma equipe do programa Segurança Presente de Niterói que patrulhava a região. Os agentes viram a cena e ofereceram a ajuda de levá-los até a Igreja Lagoinha, onde aconteceria um casamento comunitário.

De acordo com o 2º sargento da PM Marcelo França, em 21 anos de corporação ele nunca tinha vivido situação semelhante a essa. Ele e o 1º sargento Everaldo Mendonça estavam passando pela via quando viram o veículo enguiçado, que chamou a atenção dos dois e poderia causar um acidente. Foi então que eles resolveram ir até a kombi.

— A gete toma tiro, resolve briga, aborda criminosos... mas nunca tinha levado uma noiva para a igreja. Ela estava muito nervosa, queria chamar um carro por aplicativo, mas fizemos questão de levá-los. Ajudar o próximo nunca é uma obrigação. Foi bastante inusitado, mas gratificante demais — conta o policial, revelando detalhes da lua-de mel do casal: — Foram aproveitar a Praia dos Amores, em Araruama. A kombi estava prontinha já. Até eu estou bebendo uma cerveja hoje (domingo), na minha folga, em homenagem a eles — brinca o PM.

Internautas elogiam a atitude e brincam com a situação

A história foi postada nas redes sociais do Segurança Presente e chamada de "chegada triunfal". Em pouco mais de 24 horas, já são mais de cem comentários e curtidas. "Que legal, sempre fazendo a diferença. Parabéns a todos!", postou uma internauta. Outros usuários das redes também destacaram a boa ação dos agentes: "Que chegada diferenciada. Parabéns pela belíssima atitude", "O ato de servir prevalece mais uma vez" e "Exemplo de 'cidadania presente'".

— Nós ajudamos uma pessoa que estava no desespero empurrando aquela kombi. Vimos aquela cena curiosa, olhamos um para o outro e concordamos na mesma hora que iríamos ajudar. O noivo nem acreditou, disse que seria uma honra. A noiva falou que foi Deus que nos mandou até ela. Com certeza eles nunca vão esquecer da gente, e nós também não vamos os esquecer — conta o sargento Mendonça.

Houve ainda quem decidisse brincar com a situação, alegando que o fato da kombi ter quebrado a caminho da cerimônia era um alerta divino: "Deus tentou ajudar. A PMERJ atrapalhou", disse um internauta, que foi seguido por outros no mesmo tom: "Deus agindo no livramento, e os agentes não entenderam" e "Os noivos não souberam ler os sinais" foram os comentários publicados no Instagram do programa

Na postagem que viralizou na internet, o programa ainda destacou que "toda noiva se atrasa para subir ao altar", mas que "chegar na porta da igreja em uma viatura do Segurança Presente é para poucas".

A identidade do casal ainda não foi revelada. Sabe-se apenas que os dois moram em Itaboraí, município da Região Metropolitana do Rio.

Duas hipóteses tentam explicar superstição

Há duas teorias que buscam explicar essa tradição. A primeira conta que, na época em que os casamentos ainda eram arranjados pelas famílias dos noivos, os pais tinham a preocupação de fazer o possível para que o futuro casal não se encontrasse antes do combinado, afim de evitar a desistência caso eles não gostassem um do outro. Assim, criou-se o famoso costume popular que dura até os dias de hoje.

Já a segunda hipótese explica que essa superstição foi inventada pelas futuras sogras, como uma forma de evitar a decepção e a vergonha ao verem suas filhas abandonadas no altar. Dentro dessa teoria, o noivo desistiria ao se dar conta da seriedade do compromisso no momento em que vê a noiva entrando na igreja para o casamento.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos