Mercado fechado
  • BOVESPA

    126.003,86
    +951,08 (+0,76%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.897,79
    +629,34 (+1,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,12
    +0,21 (+0,29%)
     
  • OURO

    1.796,50
    -2,70 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    37.401,96
    +2.266,34 (+6,45%)
     
  • CMC Crypto 200

    905,01
    -10,48 (-1,14%)
     
  • S&P500

    4.422,30
    +10,51 (+0,24%)
     
  • DOW JONES

    35.144,31
    +82,76 (+0,24%)
     
  • FTSE

    7.025,43
    -2,15 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    26.192,32
    -1.129,66 (-4,13%)
     
  • NIKKEI

    27.833,29
    +285,29 (+1,04%)
     
  • NASDAQ

    15.115,25
    -2,50 (-0,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1089
    -0,0014 (-0,02%)
     

Após jogo contra o Peru, Neymar chora e Tite fala sobre Gabigol: calma

·2 minuto de leitura

Neymar foi as lágrimas logo após a vitória da Seleção Brasileira sobre o Peru, por 4 a 0, nesta quinta-feira. Em entrevista, assim que saiu de campo, o jogador falou do seu novo recorde com a camisa do Brasil. Com o gol que marcou na partida, ele chegou a 68, um a mais do que Ronaldo Fenômeno, com que dividia a posição de segundo maior goleador da seleção, atrás apenas de Pelé.

Durante a sua resposta, o jogador se emocionou e chorou. Ele disse que passou por muita coisa nos últimos dois anos — fora dos gramados, ele foi acusado de estupro e assédio.

— É óbvio que para mim é uma honra muito grande fazer parte da história da seleção brasileira. Para ser bem sincero, meu sonho sempre era jogar pela Seleção, vestir essa camisa. Nunca imaginei chegar a esses números. Para mim é até emocionante, porque passei por muita coisa nesses dois anos que são bem difíceis, complicadas, e esses números não são nada. A felicidade que eu tenho de jogar pelo Brasil, de representar meu país, minha família — disse o jogador.

Neymar foi o autor do segundo gol da vitória do Brasil sobre o Peru pela segunda rodada da Copa América.

TITE PEDE QUE CALMA

Em entrevista coletiva, Tite foi perguntado sobre o desempenho de Gabigol, que não foi bem na partida e foi substituído no intervalo. O treinador pediu que não se crie uma expectativa excessiva em cima do jogador e garantiu que ele terá novas oportunidades na seleção:

— Calma. O futebol é feito de calma, senão a gente cria uma expectativa excessiva de que o jogador já tem que entrar e produzir tudo o que ele faz no clube. Futebol é uma engrenagem, ele demora um pouquinho até se ajustar. No segundo tempo, usamos um número excessivo de atacantes, porque a gente achou que era o que o jogo pedia. Talvez, se tivesse o Everton com Gabriel e Neymar, seria melhor. Esses ajustes, a gente tem que ter calma. A gente vai trabalhando essas situações.

O Brasil volta a campo na próxima quarta-feira, também no Nilton Santos, para enfrentar a Colômbia.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos