Mercado abrirá em 6 h 57 min
  • BOVESPA

    111.878,53
    +478,62 (+0,43%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    43.674,83
    +779,20 (+1,82%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,20
    -0,08 (-0,18%)
     
  • OURO

    1.837,10
    +6,90 (+0,38%)
     
  • BTC-USD

    19.048,53
    -32,82 (-0,17%)
     
  • CMC Crypto 200

    373,74
    +8,82 (+2,42%)
     
  • S&P500

    3.669,01
    +6,56 (+0,18%)
     
  • DOW JONES

    29.883,79
    +59,87 (+0,20%)
     
  • FTSE

    6.463,39
    +78,66 (+1,23%)
     
  • HANG SENG

    26.682,16
    +149,58 (+0,56%)
     
  • NIKKEI

    26.740,53
    -60,45 (-0,23%)
     
  • NASDAQ

    12.466,25
    +12,00 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3604
    +0,0406 (+0,64%)
     

Após Itaú nomear novo CEO, Marcio Schettini e Caio David deixam o banco--documento

·1 minuto de leitura
.
.

SÃO PAULO (Reuters) - Dois dos principais executivos do Itaú Unibanco deixaram a instituição, segundo documentos internos aos quais a Reuters teve acesso, poucos dias após o banco ter anunciado seu próximo presidente-executivo Milton Maluhy Filho.

Em comunicados separados, a direção do banco anunciou a saída do diretor-geral de varejo, Marcio Schettini, e do diretor-geral do banco de atacado e presidente do Itaú BBA, Caio Ibrahim David.

Os dois veteranos no banco eram apontados por executivos dentro e fora da instituição como fortes candidatos a substituir o atual presidente-executivo do Itaú, Candido Bracher, que será sucedido por Maluhy Filho após completar em dezembro a idade limite estatutária de 62 anos.

Com a nomeação de Maluhy Filho, de 44 anos, que praticamente eliminou as chances de Schettini e David - ambos com mais de 50 anos - assumirem o posto executivo máximo do banco, a saída dos dois já era dada como certa, embora o anúncio tenha vindo de forma surpreendentemente rápida.

David entrou no Itaú em 1987 como trainee e ocupou vários cargos executivos no banco. Schettini estava no grupo há 31 anos.

A movimentação ocorre num momento em que grandes bancos do país, incluindo o próprio Itaú, estão enfrentando crescente competição de rivais menores, movimento amplamente apoiado por mudanças regulatórias do Banco Central para estimular a queda das taxas de juros e das tarifas bancárias.

Segundo uma fonte familiarizada com o banco, outro importante executivo do Itaú, o vice-presidente de tecnologia André Sapoznik, deve continuar na instituição.

(Por Aluísio Alves)