Mercado abrirá em 1 h 24 min
  • BOVESPA

    101.915,45
    -1.032,55 (-1,00%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.698,72
    -1.346,38 (-2,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    69,07
    +2,89 (+4,37%)
     
  • OURO

    1.785,20
    +8,70 (+0,49%)
     
  • BTC-USD

    57.004,52
    +129,35 (+0,23%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.470,15
    +2,22 (+0,15%)
     
  • S&P500

    4.567,00
    -88,27 (-1,90%)
     
  • DOW JONES

    34.483,72
    -652,22 (-1,86%)
     
  • FTSE

    7.158,27
    +98,82 (+1,40%)
     
  • HANG SENG

    23.658,92
    +183,66 (+0,78%)
     
  • NIKKEI

    27.935,62
    +113,86 (+0,41%)
     
  • NASDAQ

    16.364,00
    +213,50 (+1,32%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3961
    +0,0261 (+0,41%)
     

Após filmagens na ISS, diretor russo quer gravar filme na Lua e até em Marte

·2 min de leitura

Após 12 dias de gravação do filme O Desafio, na Estação Espacial Internacional (ISS), o diretor Klim Shipenko e a atriz Yulia Peresild voltaram para a Terra, acompanhados pelo cosmonauta Oleg Novitsky, nesta última segunda-feira (18). A breve estadia no laboratório orbital parece ter mudado a visão do diretor quando o assunto são filmagens no espaço, que já considera novas possibilidades para gravações de filmes espaciais, para além da órbita terrestre.

Shipenko e Peresild continuaram com as filmagens após o retorno, e então o diretor participou de uma coletiva com a imprensa. Quando questionado sobre uma possível sequência gravada na Lua, ele afirmou que a equipe está preparada para tal desafio. “Estamos prontos e acreditamos que filmes espaciais deveriam ser filmados no espaço; se for sobre a Lua, então vamos para a Lua; se for Marte, vamos para Marte”, disse. E acrescentou: “Por quê não? Por que o cinema tem que ser filmado em estúdio?”.

Durante o período a bordo da ISS, eles conseguiram gravar 30 horas de materiais para O Desafio, considerado o primeiro filme já produzido no espaço. Peresild, que interpretou uma médica que precisou ir à estação para salvar a vida de um cosmonauta, comentou que “cada segundo foi uma grande descoberta”. Além dela, a tripulação a bordo da estação participou das filmagens com contribuições de “diálogos orgânicos”.

Não há muitas informações reveladas sobre como foi produzir o filme na estação, mas, segundo a agência de notícias Reuters, a tripulação ajudou o diretor a se equilibrar na microgravidade para evitar trombar com os equipamentos da estação. “Algumas cenas que imaginei de uma forma na Terra saíram de um jeito totalmente diferente”, disse Shipenko. “Para mim, entender as cenas de uma forma totalmente diferente em três de quatro planos foi uma descoberta cinematográfica”, descreveu.

Segundo Shipenko, o trabalho de produção do filme deverá continuar até o fim do ano que vem, e as cenas no espaço deverão compor de 25 a 35 minutos da versão final de O Desafio. Ainda não há data para o lançamento do longa.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos