Mercado fechado
  • BOVESPA

    126.003,86
    +951,08 (+0,76%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.897,79
    +629,34 (+1,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,16
    +0,25 (+0,35%)
     
  • OURO

    1.797,10
    -2,10 (-0,12%)
     
  • BTC-USD

    37.534,22
    +2.663,46 (+7,64%)
     
  • CMC Crypto 200

    905,01
    -10,48 (-1,14%)
     
  • S&P500

    4.422,30
    +10,51 (+0,24%)
     
  • DOW JONES

    35.144,31
    +82,76 (+0,24%)
     
  • FTSE

    7.025,43
    -2,15 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    26.192,32
    -1.129,66 (-4,13%)
     
  • NIKKEI

    27.833,29
    +285,29 (+1,04%)
     
  • NASDAQ

    15.117,25
    -0,50 (-0,00%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1089
    -0,0014 (-0,02%)
     

Após fechar fábrica, Ford indeniza em R$ 2,15 bilhões estado da Bahia

·2 minuto de leitura
***FOTO DE ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 17.09.2020 - Antiga fábrica da Ford. (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress)
***FOTO DE ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 17.09.2020 - Antiga fábrica da Ford. (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress)

T SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Cinco meses após encerrar a produção de veículos no Brasil, a Ford pagou nesta sexta (18) uma indenização de R$ 2,15 bilhões ao Governo do Estado da Bahia.

O valor se refere a um termo aditivo de contrato firmado em 2014, quando a montadora se comprometeu a realizar investimentos no complexo industrial de Camaçari em contrapartida a incentivos fiscais e financiamento a capital de giro.

A fábrica foi fechada em janeiro, logo após a fabricante anunciar que encerraria a produção de automóveis no Brasil. A unidade baiana montava os modelos Ka e EcoSport, que eram os carros mais vendidos da empresa no Brasil.

“Com a decisão da Ford por fechar o complexo em definitivo, estes benefícios foram o parâmetro das negociações para se chegar ao valor da indenização devida pela empresa, acrescido de correção monetária”, diz o governo da Bahia, em nota.

“A Ford confirma que celebrou acordo com o Governo da Bahia no montante de R$ 2,15 bilhões e que o pagamento foi feito integralmente na data de hoje”, diz o comunicado emitido pela montadora na noite de sexta (18).

O valor faz parte do conjunto de despesas geradas pelo fechamento das fábricas e demissão de funcionários –alguns acordos já foram fechados, mas ainda há alguns em andamento.

A Ford prevê um impacto de aproximadamente US$ 4,1 bilhões em despesas não recorrentes, divididos em cerca de US$ 2,5 bilhões em 2020 e US$ 1,6 bilhão em 2021.

O processo teve início em 2019, quando as atividades em São Bernardo do Campo (Grande São Paulo) foram encerradas. Em 11 de janeiro, a montadora anunciou o encerramento das operações em Camaçari, Horizonte (CE) e Taubaté (interior de São Paulo).

Os acordos trabalhistas já definidos incluíram uma indenização mínima de R$ 130 mil aos funcionários das unidades de Camaçari e de Taubaté.

A fábrica de São Bernardo do Campo foi negociada com a construtora São José, especializada em empreendimentos logísticos, e com a empresa Fram Capital, focada em gestão de recursos, são as novas donas do espaço.

A unidade de Camaçari pode ser vendida para alguma montadora chinesa. As conversas seguem em sigilo, mas espera-se um desfecho ainda neste ano.

No Ceará, o objetivo é manter o jipe Troller em produção independentemente da Ford. A fábrica de Horizonte, que sempre operou com baixo volume de produção, tem cerca de 500 funcionários. As negociações com grupos automotivos devem ser concluídas no segundo semestre.

Enquanto resolve a situação de suas antigas unidades fabris, a marca americana trabalha no fortalecimento de sua linha de veículos importados.

Após lançar o utilitário esportivo Bronco, a Ford prepara a chegada de seu futuro modelo de entrada no mercado brasileiro, a picape Maverick. Ambos os modelos são produzidos no México.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos