Mercado fechado
  • BOVESPA

    128.767,45
    -497,51 (-0,38%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.129,88
    -185,81 (-0,37%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,08
    +0,02 (+0,03%)
     
  • OURO

    1.779,80
    +2,40 (+0,14%)
     
  • BTC-USD

    33.919,02
    +1.312,64 (+4,03%)
     
  • CMC Crypto 200

    810,33
    +16,01 (+2,02%)
     
  • S&P500

    4.246,44
    +21,65 (+0,51%)
     
  • DOW JONES

    33.945,58
    +68,61 (+0,20%)
     
  • FTSE

    7.090,01
    +27,72 (+0,39%)
     
  • HANG SENG

    28.498,95
    +189,19 (+0,67%)
     
  • NIKKEI

    28.884,75
    +0,62 (+0,00%)
     
  • NASDAQ

    14.285,75
    +27,50 (+0,19%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9152
    -0,0046 (-0,08%)
     

Após faltar à audiência, Guedes é convocado por comissão da Câmara

·2 minuto de leitura
Ministro da Economia, Paulo Guedes, participa de seminário em Brasília

BRASÍLIA (Reuters) - A Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira a convocação do ministro da Economia, Paulo Guedes, para que preste esclarecimentos a respeito de supostas distorções em projeções de despesas previdenciárias.

Guedes, que havia sido convidado a participar de audiência conjunta das comissões de Fiscalização Financeira e Controle e de Defesa do Consumidor nesta quarta-feira, não compareceu ao compromisso. O convite, então, foi transformado em convocação, o que torna o seu comparecimento obrigatório.

À Reuters, o presidente da comissão, deputado Áureo Ribeiro (Solidariedade-RJ), afirmou que o governo já ofereceu a data de 30 de junho para que Guedes compareça à audiência. O ministro tem até 30 dias, em termos regimentais, para participar.

"Como o ministro não compareceu hoje, quando estava marcada a data, a Comissão votou, sem nenhum voto contrário, a convocação do ministro Paulo Guedes para participar na forma de convocado na comissão", disse o parlamentar.

No início da noite, o Ministério da Economia afirmou que Guedes não pôde comparecer à comissão por ter sido chamado pelo presidente Jair Bolsonaro ao Palácio do Planalto. Segundo o ministério, esse problema de agenda foi comunicado à comissão na terça-feira, quando foi sugerida a data de 30 de junho.

"Reforçamos o compromisso do ministro Paulo Guedes com o Parlamento, responsável pela aprovação da pauta econômica, e lembramos que o ministro vem participando de diversas audiências públicas agendadas pela Câmara dos Deputados", disse o ministério em nota.

De acordo com a Agência Câmara, a justificativa para a convocação citou reportagem do portal G1 que apontou que técnicos do TCU teriam identificado distorções em valores a serem desembolsados no futuro para custear a previdência de servidores e benefícios de militares inativos.

A ida inicial de Guedes à comissão estava prevista para o dia 4 de maio, data em que o ministro participou de audiência pública de um conjunto de comissões da Câmara dos Deputados. Sua participação então foi reagendada pela comissão para esta quarta-feira.

(Por Gabriel Ponte)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos