Mercado fechado
  • BOVESPA

    115.202,23
    +2.512,05 (+2,23%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.342,54
    +338,35 (+0,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,28
    +2,45 (+3,84%)
     
  • OURO

    1.698,20
    -2,50 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    47.774,20
    +440,96 (+0,93%)
     
  • CMC Crypto 200

    982,93
    +39,75 (+4,21%)
     
  • S&P500

    3.841,94
    +73,47 (+1,95%)
     
  • DOW JONES

    31.496,30
    +572,16 (+1,85%)
     
  • FTSE

    6.630,52
    -20,36 (-0,31%)
     
  • HANG SENG

    29.098,29
    -138,50 (-0,47%)
     
  • NIKKEI

    28.864,32
    -65,78 (-0,23%)
     
  • NASDAQ

    12.652,50
    +197,50 (+1,59%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7797
    -0,0062 (-0,09%)
     

Após falha de motor, empresas interrompem uso do Boeing 777 nos EUA e Japão

Felipe Ribeiro
·1 minuto de leitura

O Boeing 777 é uma das mais icônicas aeronaves da Boeing, sendo capaz de fazer voos intercontinentais sem escalas com muito conforto e tecnologia. Entretanto, dezenas desses jatos comerciais estão no chão nos últimos dias após uma falha grave que aconteceu na cidade de Denver, no estado do Colorado (EUA).

Segundo informações obtidas pelo The Wall Street Journal, a aeronave que faria o voo 328 da United Airlines, com destino a cidade de Honolulu, no Havaí, teve uma grave falha em seu motor Pratt & Whitney PW4000, com duas pás das turbinas apresentando fissuras extremamente perigosas para seu funcionamento. Após o ocorrido, a própria United Airlines e mais duas companhias aéreas do Japão interromperam o uso do avião até que uma investigação mais detalhada mostre as soluções.

Ao todo são 24 aeronaves da United, 14 da Japan Airlines e 19 da All Nippon Airways, que possuem os modelos de Boeing 777 que estão equipados justamente com os motores Pratt & Whitney. Essa recomendação foi feita pelo FAA (Federal Aviation Administration) e pela própria Boeing. Ambas já iniciaram as averiguações técnicas.

Boeing 777 da United/ Imagem: Divulgação/ Ian Abbott/ Flickr/ Photo Pin
Boeing 777 da United/ Imagem: Divulgação/ Ian Abbott/ Flickr/ Photo Pin

“Revisamos todos os dados de segurança disponíveis após o incidente de ontem. Com base nas informações iniciais, concluímos que o intervalo de inspeção deve ser aumentado para as pás ocas da ventoinha, exclusivas deste modelo de motor, utilizado exclusivamente nos aviões Boeing 777", disse Steve Dickson, gerente da FAA, em um comunicado.

O incidente com o Boeing 777 da United não teve feridos ou maiores complicações para retornar a Denver, uma vez que os sistemas do avião detectaram a falha logo após a decolagem.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: