Mercado fechado
  • BOVESPA

    122.038,11
    +2.117,50 (+1,77%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.249,02
    +314,11 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,82
    +0,11 (+0,17%)
     
  • OURO

    1.832,00
    +16,30 (+0,90%)
     
  • BTC-USD

    57.133,97
    +667,04 (+1,18%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.480,07
    +44,28 (+3,08%)
     
  • S&P500

    4.232,60
    +30,98 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    34.777,76
    +229,23 (+0,66%)
     
  • FTSE

    7.129,71
    +53,54 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    28.610,65
    -26,81 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    29.357,82
    +26,45 (+0,09%)
     
  • NASDAQ

    13.715,50
    +117,75 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3651
    -0,0015 (-0,02%)
     

Após falha em sistema, 4º voo do helicóptero Ingenuity deve acontecer hoje (30)

Wyllian Torres
·2 minuto de leitura

O quarto voo do Ingenuity em Marte estava marcado para ontem (29), mas precisou ser remarcado para às 11h46 (horário de Brasília) de hoje. Suas hélices não seguiram a série de comandos, o que não tirou a aeronave do chão. Apesar disso, a equipe da aeronave já contava com esta possibilidade — provavelmente por algum erro em seu sistema, mas o helicóptero está seguro e com saúde, segundo a NASA.

Conforme os dados recebidos pela equipe ontem, o helicóptero não conseguiu executar seu quarto voo, pois o sistema do helicóptero não mudou para o modo de voo — sequência importante para que ele saia do chão. Este mesmo problema, que foi identificado no início deste mês, mostrava existir uma chance de 15% dessa falha se repetir. Então, apesar do susto, a equipe não foi pega de surpresa.

Vale lembrar que o Ingenuity precisou passar uma atualização em seu sistema antes mesmo do primeiro voo, justamente por conta da sua falha em seguir a sequência de comandos responsáveis por colocá-lo no ar. No entanto, de lá para cá, o helicóptero já realizou três decolagens envolvendo manobras, distâncias maiores e a também altura. Em nota oficial, a NASA explica que: “o atraso de hoje está em linha com essa expectativa e não impede voos futuros”. A equipe espera começar a receber os dados a partir das 14h39 desta tarde.

Redistro do dia 29 de abril pela câmera Mastcam-Z, localizada no braço do rover Perseverance, o qual acompanha a uma distância segura os voos do helicóptero (Imagem: Reprodução/NASA/JPL-Caltech/ASU/MSSS)
Redistro do dia 29 de abril pela câmera Mastcam-Z, localizada no braço do rover Perseverance, o qual acompanha a uma distância segura os voos do helicóptero (Imagem: Reprodução/NASA/JPL-Caltech/ASU/MSSS)

Embora a aeronave não tenha nenhum objetivo científico, sendo apenas de demonstração de tecnologia, a equipe pretende levá-la ao seu limite. Aliás, erros de execução são esperados, pois o helicóptero está ali em Marte para testar nossa capacidade de colocar um objeto para voar em outro mundo.

A partir das experiências com o Ingenuity, espera-se que, em futuras missões espaciais, helicópteros semelhantes — ou em uma versão aprimorada, digamos assim — possam cumprir missões de caráter científico. Segundo Josh Ravich, chefe mecânico da equipe da aeronave no Laboratório de Propulsão a Jato (JPL), da NASA, explica que esses robôs serão capazes de voar "sobre ravinas, desfiladeiros e montanhas", alcançando lugares que um rover não seria capaz de alcançar.

A NASA já desenvolve uma nova missão envolvendo um helicóptero, chamado Dragonfly, com o objetivo de explorar a lua Titã, de Saturno, em 2027. Com a experiência e informações que o Ingenuity tem oferecido, a tendência é que outras missões de exploração através dos ares surjam.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: