Mercado fechado

Após discussões, Tesla paralisa fábricas na Califórnia e em Nova Iorque

Claudio Yuge

Depois de várias conversas entre a Tesla e autoridades locais, a companhia de Elon Musk decidiu interromper temporariamente os trabalhos em suas fábricas de carros na Califórnia e de painéis solares em Nova Iorque. A paralisação começa na segunda-feira (23) e faz parte dos protocolos de prevenção à pandemia global do novo coronavírus (SARS-CoV-2).

"Apesar de tomar todas as precauções de saúde conhecidas, a operação contínua em determinados locais causou desafios para nossos funcionários, familiares e fornecedores. Como tal, decidimos suspender temporariamente a produção nas duas fábricas”, diz o comunicado da companhia, emitido pela chefe de Recursos Humanos da companhia, Valerie Workman.

Os funcionários que trabalham por hora em ambas as fábricas "continuarão recebendo seu pagamento normal até segunda-feira, após o qual forneceremos férias remuneradas durante as operações suspensas", complementa. “Quem está trabalhando em casa deve continuar fazendo isso e considerar os negócios como de costume. Entendemos que você terá muitas perguntas e forneceremos recursos adicionais nas próximas horas e dias”, adianta Valerie.

Fábrica da Tesla em Nevada (Imagem: Reprodução/Wikipedia)

A Tesla diz que manterá algumas "operações básicas" em funcionamento, como o trabalho em sua infraestrutura de recarga de baterias. A Gigafactory, em Nevada, continuará operando normalmente, apesar de uma recente iniciativa do governador do estado pedir que todas as empresas “não essenciais” fechem.

As entregas dos veículos devem continuar durante o período, ainda indeterminado. A companhia afirma que está alavancando a conectividade de aplicativos e smartphones de seus veículos para implementar "entregas sem contato físico" em "muitos locais". “Os clientes podem destrancar seus carros novos em um estacionamento de entrega, por meio do aplicativo Tesla, assinar qualquer documento relevante restante que foi colocado no carro e devolvê-lo para um local de entrega antes de sair”, informa a Tesla.

Segundo o comunicado o grupo de Elon Musk, os US$ 6,3 bilhões em dinheiro que possuía no final de 2019, bem como os US$ 2,3 bilhões arrecadados em fevereiro, serão "suficientes para navegar com sucesso por um longo período de incerteza".

Fechamento ocorre depois de discussões com autoridades

Os líderes de seis municípios da área da baía de São Francisco anunciaram a ordem de fechamento de todos os “negócios não essenciais” na segunda-feira (16). Entretanto, a Tesla manteve sua fábrica de automóveis aberta. Na noite de terça (17), o xerife do condado de Alameda disse que a companhia se encaixava nessa categoria e que a empresa deveria realizar somente as operações mais básicas, como pagamentos.

Fábrica da Tesla em São Francisco (Imagem: Reprodução/Wikipedia)

Ainda assim, a unidade permaneceu funcionando normalmente. A justificativa de Valerie aos funcionários foi que a Tesla havia sido considerada "infraestrutura crítica nacional" pelo Departamento de Segurança Interna, embora a agência governamental não tenha confirmado isso. As orientações divulgadas pela sua agência de segurança cibernética, nesta quinta (19), não incluíram a fabricante entre os listados de "infraestrutura crítica".

Ainda hoje, o departamento de polícia local destacou que o chefe de polícia e os membros da equipe de administração da cidade estavam programados para se reunir com a "gerência da fábrica Tesla" para "discutir a cooperação para conformidade com a ordem do oficial de saúde do condado". Assim, algumas horas depois, a Tesla anunciou o fechamento da fábrica.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: