Mercado fechado

Após chuva de críticas, Amazon retira enfeites de Natal de Auschwitz do ar

Nathan Vieira

O campo de concentração Auschwitz-Birkenau foi criado pela Alemanha nazi de Hitler, pouco depois de ter invadido a Polónia, a 1 de setembro de 1939, um acontecimento que marca o início da Segunda Guerra Mundial. Tendo isso em mente, o Museu de Auschwitz utiliza regularmente as redes sociais para chamar atenção para as atrocidades cometidas pelo regime nazista durante a Segunda Guerra Mundial e também para recordar vítimas do Holocausto, e não gostou nadinha da nova aposta da Amazon para o natal.

Acontece que a empresa passou a vender produtos que servem como decoração ou presentes de Natal, e que são temáticos de Auschwitz. Alguns deles, por exemplo, exibem os carris que levavam à entrada principal e os corredores ladeados por arame farpado de Auschwitz-Birkenau, um campo de extermínio morreram mais de um milhão de pessoas.


O Museu Memorial Auschwitz utilizou as redes sociais, mais precisamente o Twitter, para denunciar esse comportamento da empresa: "Vender decorações de Natal com imagens de Auschwitz não parece apropriado. Auschwitz num saca-rolhas é perturbador e desrespeitoso", escreveu a conta. Por sua vez, a Amazon acabou retirando os produtos da sua plataforma online. Bolas, estrelas, sinos e até mousepads estavam à venda com as polêmicas imagens estampadas. No Twitter, o museu da Polônia também compartilhou imagens dos enfeites, que causaram a indignação de muitos seguidores.

Em resposta às polêmicas, um representante da Amazon fez um comunicado dizendo que os produtos foram removidos do site e que "todos os vendedores devem seguir" as "diretrizes definidas" pela empresa. Quem não respeitar fica sujeito a que a Amazon remova a sua conta do site.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: