Mercado abrirá em 5 h 46 min
  • BOVESPA

    109.951,49
    +2.121,77 (+1,97%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.125,01
    -210,50 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,54
    +0,07 (+0,09%)
     
  • OURO

    1.890,70
    0,00 (0,00%)
     
  • BTC-USD

    22.607,87
    -590,71 (-2,55%)
     
  • CMC Crypto 200

    520,68
    -16,22 (-3,02%)
     
  • S&P500

    4.117,86
    -46,14 (-1,11%)
     
  • DOW JONES

    33.949,01
    -207,68 (-0,61%)
     
  • FTSE

    7.885,17
    +20,46 (+0,26%)
     
  • HANG SENG

    21.516,51
    +232,99 (+1,09%)
     
  • NIKKEI

    27.623,01
    +16,55 (+0,06%)
     
  • NASDAQ

    12.592,75
    +47,50 (+0,38%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5797
    +0,0123 (+0,22%)
     

Após caso Americanas, Moro defende mais rigor contra contabilidade criativa

***ARQUIVO**** SÃO PAULO, SP, BRASIL, 08.12.2022 - O ex-juiz e senador eleito Sergio Moro (União Brasil-PR) durante evento promovido pela RenovaBR e pelo Insper voltado a parlamentares eleitos que reuniu empresários e lideranças políticas no auditório da Insper na Vila Olímpia, em São Paulo. (Foto: Ronny Santos/Folhapress)
***ARQUIVO**** SÃO PAULO, SP, BRASIL, 08.12.2022 - O ex-juiz e senador eleito Sergio Moro (União Brasil-PR) durante evento promovido pela RenovaBR e pelo Insper voltado a parlamentares eleitos que reuniu empresários e lideranças políticas no auditório da Insper na Vila Olímpia, em São Paulo. (Foto: Ronny Santos/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Após a revelação do escândalo contábil de R$ 20 bilhões no balanço da Americanas, o senador eleito Sergio Moro pediu mais rigor contra "contabilidade criativa".

Em uma mensagem divulgada em rede social, Moro disse que "o rombo de R$ 20 bilhões nas Americanas reclama melhoria das leis sobre o mercado de ações, com maior rigor contra 'contabilidade criativa'".

Segundo ele, a medida protegeria investidores e acionistas de todos os portes.

"Instituir programas de recompensas para denunciantes do bem seria algo positivo", escreveu.

O escândalo envolvendo a companhia, que é um dos maiores grupos varejistas do país, levou Sergio Rial, ex-presidente da Americanas, a anunciar seu desligamento da empresa.