Mercado fechado
  • BOVESPA

    114.647,99
    +1.462,52 (+1,29%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.798,38
    +658,14 (+1,26%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,66
    +1,35 (+1,66%)
     
  • OURO

    1.768,10
    -29,80 (-1,66%)
     
  • BTC-USD

    61.211,70
    -188,54 (-0,31%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.464,06
    +57,32 (+4,07%)
     
  • S&P500

    4.471,37
    +33,11 (+0,75%)
     
  • DOW JONES

    35.294,76
    +382,20 (+1,09%)
     
  • FTSE

    7.234,03
    +26,32 (+0,37%)
     
  • HANG SENG

    25.330,96
    +368,37 (+1,48%)
     
  • NIKKEI

    29.068,63
    +517,70 (+1,81%)
     
  • NASDAQ

    15.144,25
    +107,00 (+0,71%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3297
    -0,0741 (-1,16%)
     

Após boicote chinês, Elon Musk diz que mercado de criptomoedas é indestrutível

·2 minuto de leitura

O excêntrico bilionário Elon Musk, CEO da Tesla, expressou sua opinião sobre a crise das moedas digitais na China em participação no evento Code Conference, realizado em Bervely Hills, nos EUA, na terça-feira (28). Segundo Musk, “não é possível destruir as criptomoedas”.

A declaração de Musk foi parte de uma resposta para uma pergunta feita por uma colunista do New York Times, que questionou se o governo dos EUA deveria começar a regular o mercado de criptoativos. O bilionário, além de expor sua opinião sobre a impossibilidade de destruição das criptomoedas, também deixou clara que ele acredita que o governo não deve interferir nesse setor.

Musk, porém, acredita que embora a destruição desses ativos digitais seja impossível, ações tomadas por governos irão trazer impactos negativos para o mercado de criptomoedas, “desacelerando” o avanço das criptomoedas.

O CEO da Tesla também comentou especificamente sobre as novas medidas restritivas impostas pelo governo chinês. Por um lado, Musk acredita que os chineses não gostam das tecnologias da criptomoedas, que podem acabar sendo usadas para reduzir o poder de um governo central.

Por outro lado, o bilionário acredita que as medidas de combate à mineração de criptomoedas na China podem ter motivações mais concretas, ligadas ao estado atual da autonomia energética do país. “Parte disso pode ser devido à falta de eletricidade em muitas partes da China. Grande parte do sul da China está tendo interrupções de energia aleatórias, porque a demanda de energia é maior do que a esperada. A mineração de criptomoedas pode estar desempenhando um papel nisso”,afirmou.

Musk é entusiasta das criptomoedas

Elon Musk, após ter começado a falar sobre os criptoativos, virou uma espécie de ídolo para a bolha de entusiastas desse mercado. Em fevereiro: documentos enviados à Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC, na sigla em inglês) mostraram que a Tesla havia comprado US$ 1,5 bilhão (aproximadamente R$ 5.9 bilhões, na conversão atual) em Bitcoin como estratégia de tesouraria. Além disso, a fabricante de carros elétricos iria começar a aceitar pagamentos feitos com a criptomoeda.

Pouco tempo depois, em 12 de maio, citando preocupações ambientais por conta do consumo não-renovável de energia, o CEO da Tesla criticou a mineração de Bitcoin e suspendeu os pagamentos em cripto na Tesla. Essa suspensão, feita próxima do anúncio da primeira leva de restrições da China à mineração, que viria dias depois, culminou em uma mínima no valor da criptomoeda aproximadamente US$ 28 mil (R$ 151 mil, na conversão atual) em julho, uma correção de cerca de 50%. Desde então, o preço recuperou a metade sendo negociado no fechamento desta matéria por US$ 41 mil(R$ 222 mil, com o valor atual do dólar em relação ao real).

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos