Mercado abrirá em 3 h 17 min
  • BOVESPA

    111.183,95
    -355,84 (-0,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.377,47
    +695,28 (+1,52%)
     
  • PETROLEO CRU

    60,79
    -0,49 (-0,80%)
     
  • OURO

    1.707,00
    -8,80 (-0,51%)
     
  • BTC-USD

    49.053,51
    -1.663,28 (-3,28%)
     
  • CMC Crypto 200

    984,65
    -2,56 (-0,26%)
     
  • S&P500

    3.819,72
    -50,57 (-1,31%)
     
  • DOW JONES

    31.270,09
    -121,43 (-0,39%)
     
  • FTSE

    6.609,92
    -65,55 (-0,98%)
     
  • HANG SENG

    29.236,79
    -643,63 (-2,15%)
     
  • NIKKEI

    28.930,11
    -628,99 (-2,13%)
     
  • NASDAQ

    12.593,75
    -88,00 (-0,69%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7699
    -0,0088 (-0,13%)
     

Ao menos 100 milhões de doses da vacina da Moderna estarão disponíveis no primeiro trimestre de 2021

·1 minuto de leitura
Sede da Moderna em Cambridge, Massachusetts

A Moderna planeja disponibilizar entre 100 e 125 milhões de doses de sua vacina contra a covid-19 no primeiro trimestre de 2021, a grande maioria das quais irá para os Estados Unidos, anunciou a empresa americana de biotecnologia em um comunicado nesta quinta-feira (3).

Entre 85 milhões e 100 milhões dessas doses serão reservadas para os Estados Unidos e entre 15 e 25 milhões para o resto do mundo, observou o laboratório.

A empresa também reafirmou que 20 milhões de doses estarão disponíveis no país norte-americano até o final do ano.

A Moderna vem preparando a cadeia de abastecimento em conjunto com a administração Donald Trump há meses para garantir que possa distribuir a vacina assim que a agência reguladora de medicamentos americana (FDA) a aprove.

Para todos os países fora dos Estados Unidos, a produção será realizada na Suíça, nas fábricas do grupo Lonza.

Autoridades americanas disseram que planejam distribuir um total de 40 milhões de doses até o final do ano no país, incluindo aquelas produzidas pela parceira entre as empresas Pfizer e BioNTech.

Isso significa que cerca de 20 milhões de pessoas seriam vacinadas até o final de 2020, já que o produto é administrado em duas doses.

A Moderna solicitou autorização da FDA e do comitê consultivo da agência, que está revisando todos os dados do ensaio clínico e se reunirá para debater os resultados em 17 de dezembro. A permissão para a distribuição da vacina é esperada logo em seguida.

A reunião da FDA para revisar a vacina Pfizer- BioNtech, que foi aprovada na quarta-feira no Reino Unido, acontecerá no dia 10 de dezembro.

la/cjc/dg/am