Mercado fechará em 1 h 23 min

Ex-dirigente do Vasco, sobre MP das transmissões de jogos: 'Muito barulhenta para pouca coisa'

Tadeu Rocha e Matheus Costa


Especialista em marketing esportivo, Bruno Maia foi o convidado do 'De Casa com o LANCE!' na última terça-feira. Entre muitos assuntos, o ex-VP de Marketing do Vasco abordou um dos temas mais reproduzidos nos últimos dias: A MP dos direitos televisivos do futebol assinada pelo presidente Jair Bolsonaro.

Para Bruno, o fim do monopólio de direitos televisivos da Globo no futebol brasileiro já estava fadado pela digitalização por conta de uma realidade no mundo, com o crescimento da internet.

- Com a MP, a gente vai ter uma aceleração das coisas. Eu vejo muitos falando que "a MP põe fim ao monopólio da Globo", mas isso já estava fadado a acabar pela simples circunstância de que a digitalização é uma realidade no mundo inteiro e exige um direcionamento de players muito maior do que na concessão de TV aberta, onde é natural ter poucos concorrentes. Na Internet, qualquer um é emissor de conteúdo, quanto mais o conteúdo cresce, mais características impõe no mercado.

Muito se discute no Brasil sobre uma 'espanholização' do futebol brasileiro em relação aos direitos televisivos e cotas desiguais, mesmo que o futebol espanhol não trabalhe neste formato há alguns anos. Para Bruno, entretanto, a 'MP é muito barulhenta para pouca coisa'.

- A MP antecipa uma discussão que poderia ser mais lenta, consistente, organizada, discutindo assuntos conexos além do debate sobre o mandante. Vimos a briga do Flamengo com o Fluminense para transmitir o jogo (final da Taça Rio). Não adianta decidir que o mandante é proprietário se não discute como é vendido o conteúdo - completou.

SOBRE O 'DE CASA COM O LANCE!'

O "De casa com o LANCE!" é um programa apresentado exclusivamente por meio do Instagram do site. No formato home office, nossa equipe irá receber convidados de diferentes esferas, como atletas, profissionais e influenciadores digitais, além da participação dos leitores com perguntas ao vivo. Para não ficar de fora, acompanhe o nosso Instagram (@diariolance) e o Twitter (@lancenet).