Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.113,93
    +413,26 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,07
    -0,39 (-0,61%)
     
  • OURO

    1.777,30
    +10,50 (+0,59%)
     
  • BTC-USD

    62.323,76
    +753,40 (+1,22%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,97
    +7,26 (+0,52%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,68 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.019,53
    +36,03 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.969,71
    +176,57 (+0,61%)
     
  • NIKKEI

    29.683,37
    +40,68 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    14.024,00
    +10,00 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6872
    -0,0339 (-0,50%)
     

Ao gosto do freguês: como a Microsoft está segmentando seus serviços na nuvem

Rui Maciel
·19 minuto de leitura

É seguro dizer, sem medo de errar, que as duas maiores inovações tecnológicas do século 21 foram o iPhone e a Amazon Web Services.

O aparelho da Apple não só deu a largada definitiva para a era dos smartphones, mas, principalmente inaugurou a chamada Economia dos Aplicativos, a partir da sua App Store. Hoje, se você pede um carro no Uber, uma refeição no iFood ou paquera alguém no Tinder, é porque o iPhone e sua genial usabilidade facilitaram todo o processo. E, na sequência, o Android chegou para democratizar os apps entre as massas.

E se o iPhone inaugurou a era dos aplicativos, foi a Amazon Web Services (ou AWS, se preferir) quem ajudou a popularizá-los, já que ela foi a primeira empresa a perceber o gigantesco potencial da nuvem. Fundada em 2006, a divisão de cloud computing da Amazon permitiu que muitas startups sem grandes condições financeiras se tornassem um enorme sucesso. Isso porque elas não precisavam se preocupar em investir seus parcos recursos na compra e gerenciamento de caros data centers. Logo, elas se concentram apenas em desenvolver seu produto e o modelo de negócios. Todo o resto fica por conta da AWS - mediante um pagamento inifinitamente menor do que manter seus dados em servidores locais.

Essa visão da AWS deu tão certo que, por muitos anos, ela reinou soberana no mercado de computação em nuvem, Mas, de uns anos para cá, outras gigantes da Tecnologia arregaçaram as mangas e mostraram seu poderio para ganhar uma fatia desse lucrativo bolo - para se ter uma ideia, apenas o lucro operacional da AWS em 2020 foi de US$ 13,5 bilhões. Isso corresponde a mais de 63% de todo lucro operacional anual da Amazon ( e-commerce e demais empresas do conglomerdado).

E hoje, a principal ameaça ao reinado da AWS atende pelo nome de Microsoft. Ao longo dos últimos anos - sob o comando de Satya Nadella - a criadora do Windows foi reinventando seus modelos de negócios, com o objetivo de diversificar suas fontes de receitas, diminuindo sua dependência da venda de licenças do sistema operacional e do pacote Office.

E a estratégia deu muito certo. Hoje, as fontes de receitas da empresa são mais diversificadas, dividindo-se de forma equilibrada em diversas unidades, como Office, Xbox, Surface, Windows e sua grande estrela: a de serviços na nuvem. Em 2019, esse grupo se tornou o mais lucrativo da Microsoft pela primeira vez, fato que tende a se repetir nos resultados financeiros de 2020. Trimestre após trimestre, os negócios em cloud computing vêm puxando a receita e os lucros da gigante da Redmond para cima.

Com esse crescimento vertiginoso, a Microsoft já tem, hoje, 20% do marketshare mundial de serviços na nuvem, atrás apenas da AWS, que conta com 32%. Ainda que seja uma diferença considerável, ela vem paulatinamente diminuindo. Vale lembrar que até pouco anos atrás, a unidade de cloud computing da Amazon era dona de mais da metade do mercado.

E para diminuir essa diferença ainda mais, a Microsoft vem investindo em novos produtos. E um deles é o de nuvens segmentadas por indústria. Hoje, essa estrutura já está disponível para cinco diferentes setores: varejo, serviços financeiros, manufatura, saúde e organizações sem fins lucrativos com ferramentas e recursos baseados nas necessidades de cada vertical.

E para explicar como funciona essa estratégia, o Canaltech conversou com Hayan Ortega, líder de Indústria da Microsoft na América Latina. Na entrevista, ele explica quais são os diferenciais dessa modalidade e como eles foram desenvolvidos para cada indústria.



Confira como foi o papo:

Canaltech - Em comparação com outros serviços, quais as vantagens das nuvens segmentadas oferecidas pela Microsoft para diferentes indústrias?

Hayan Ortega - A abordagem da Microsoft para as nuvens da indústria visa capacitar as organizações com soluções ponta a ponta para quebrar silos e permitir que os clientes aumentem a eficiência, com experiências mais personalizadas. Essas soluções são projetadas para fornecer mais valor em menos tempo, conectando as pessoas com percepções do momento para melhores decisões, ações e resultados para todos os que atendem.

O que torna a oferta da Microsoft única é que estamos entregando nuvens sob medida para um setor específico - uma nuvem robusta e integrada e uma oferta de IA construída em um modelo de dados comum, com ferramentas abrangentes para produtividade, colaboração, processo de negócios, análise e computação de ponta com uma base de segurança e conformidade.

Nossas ofertas são dimensionadas e podem ser personalizadas por um ecossistema global de parceiros e que estão construindo seus próprios recursos com base nos nossos. Trabalhamos com parceiros líderes em todos os setores para que os clientes tenham as soluções de que precisam para seus desafios comerciais específicos.

Além disso, a Microsoft, por muitos anos, tem assumido o papel de um consultor confiável, um co-inovador, um parceiro. Não competimos no mesmo setor que nossos clientes, como outros provedores de nuvem - trabalhamos para capacitar os clientes a ter sucesso, não ser um concorrente deles. Acreditamos que nenhum cliente deseja depender de um fornecedor que vende tecnologia por um lado e concorre com ele do outro.

E garantimos que os dados do cliente pertencem ao nosso cliente, não a nós. Trabalhamos com organizações para ajudá-las a aproveitar os dados para construir o poder preditivo e analítico necessário para sua própria vantagem competitiva. Não aproveitamos os dados do cliente para nosso próprio benefício, como fazem alguns de nossos concorrentes.

CT - Ter uma nuvem segmentada pode gerar economia para as empresas? De que forma isso acontece?

H.O.: Nosso compromisso sempre foi garantir que as ferramentas que fornecemos estão à altura da tarefa de apoiar nossos clientes em seus momentos de necessidade. Sabemos que a tecnologia tem um papel a desempenhar na aceleração do progresso em soluções para a pandemia e na criação de resiliência; Isso melhora a eficiência e produtividade, além de criar ferramentas inovadoras em todo o fluxo de trabalho. E, como consequência, levam à redução de custos nos processos como um todo.

Por exemplo, o Microsoft Cloud forManufacturing (para a indústria de manufatura) oferece um modelo de dados do setor extensível e recursos que ajudam os fabricantes a obter o máximo dos ativos, fluxo de trabalho e processos de negócios, pemitindo eliminar custos e complexidade. Esperamos que eles acelerem sua transformação digital, resolvam as lacunas de habilidades com orientações e aplicativos mais inteligentes e operem com uma força de trabalho de manufatura moderna.

Além disso, com o Microsoft Cloud for Healthcare (para a área de Saúde), os custos de atendimento são reduzidos por meio de recursos de monitoramento e recursos projetados para aprimorar o acompanhamento remoto e constante de pacientes. Isso permite que as organizações de saúde gerenciem rapidamente o inventário, atendam os pacientes com mais agilidade e coletem dados de dispositivos fornecidos a um paciente mesmo à distância.

Participação das empresas no mercado mundial de serviços na nuvem: Microsoft avança, mas AWS ainda lidera com certa folga (Imagem: Statista)
Participação das empresas no mercado mundial de serviços na nuvem: Microsoft avança, mas AWS ainda lidera com certa folga (Imagem: Statista)


Esses dados podem ser analisados ​​para enviar notificações predefinidas para as equipes de atendimento e para os pacientes, de forma individual ou grupos. Esses recursos permitem que qualquer instituição de saúde forneça cuidados preventivos, proativos e remotos para pacientes, como aqueles que sofrem de doenças crônicas, como diabetes. Essa implementação ajuda a reduzir custos, pois capacita a colaboração da equipe de saúde ao simplificar os fluxos de trabalho e aumentar a eficiência operacional.

Um outro exemplo: no ambiente de serviços financeiros, os consumidores costumam usar vários canais e os sistemas nas instituições costumam ser isolados. Se tomarmos o processo de empréstimo de varejo como exemplo, trata-se de um processo que, normalmente, é muito isolado, não transparente e envolve várias etapas. Um banco americano médio leva cerca de 45 dias para originar um empréstimo.


O Microsoft Cloud for Financial Services melhora todo o processo de empréstimo com uma única solução, automatizando processos, facilitando vendas e serviços remotos, reduzindo o tempo gasto com aprovações e assinaturas e aumentando a transparência. Em última análise, ele irá aprimorar a experiência do cliente e melhorar a produtividade, bem como reduzir os custos para a instituição.

CT - Hoje a Microsoft oferece nuvens segmentadas para cinco setores: varejo, serviços financeiros, manufatura, saúde e organizações sem fins lucrativos. O que podemos destacar em cada uma quando falamos em ferramentas e soluções que ajudarão essas indústrias? Quais as ferramentas e recursos específicos?

H.O.: Começando com os serviços financeiros: o Microsoft Cloud for Financial Services é uma solução ponta a ponta projetada até mesmo para as estruturas de controle e requisitos regulamentares mais complexos.

Para este setor, as instituições passaram a querer mostrar aos clientes que estão "sempre abertas", 24 horas, sete dias por semana. Então, nossa nuvem permite que elas modernizem os principais serviços bancários, como pagamentos, gerenciem riscos em toda a organização, habilitem serviços novos e diferenciados, incorporem a colaboração digital em fluxos de trabalho para criar visibilidade em tempo real do status e simplifique as transferências. Além disso, há o aprimoramento dos insights para ajudar a reduzir fraudes - tudo com opções de implantação híbridas e escaláveis necessárias para modernizar seus sistemas.

Além disso, como a natureza do crime financeiro está em constante evolução, é fundamental que eles identifiquem criminosos com mais rapidez para proteger a si próprios e a seus clientes. Portanto, nossa nuvem traz uma gestão de risco confiável e mais forte, que pode ser um diferencial competitivo sólido para essas organizações.

Quanto à comunidade de saúde, a saúde virtual ajudou a expandir o acesso aos cuidados quando a pandemia restringiu a capacidade dos pacientes de ver seus médicos presencialmente. E isso requer novas maneiras de melhorar as experiências dos pacientes, melhorar os fluxos de trabalho e garantir trocas seguras de informações de saúde.

No Microsoft Cloud for Healthcare, os recursos de gerenciamento de atendimento a partir do Microsoft Dynamics 365 permitem que os gerentes de atendimento desenvolvam e acompanhem as atividades do plano de atendimento e melhorem a eficiência do fluxo de trabalho. Isso se dá pela capacidade de visualizar eventos clínicos sequencialmente para discernir as melhores próximas etapas.

Com o recurso de monitoramento contínuo de pacientes, as organizações de saúde que implantam dispositivos de monitoramento remoto, como monitores de batimentos cardíacos e monitores de pressão arterial para pacientes cardiovasculares. A solução é capaz de rastrear e gerenciar facilmente seu inventário de dispositivos.

Os coordenadores de atendimento podem definir limites de atendimento para pacientes e permitir o acesso integrado entre médicos, gerentes de atendimento e cuidadores domiciliares para implantar ferramentas de navegação digital de treinamento. Ou um plano de atendimento adaptado às necessidades do paciente, estendendo seu atendimento para além das paredes dos hospitais, reduzindo as readmissões e apoiando os pacientes de suas casas.

Ao integrar assistentes de saúde virtuais, como o serviço Azure Health Bot, as organizações podem otimizar a triagem, o agendamento e torná-lo ininterrupto para receber acompanhamento e orientação de bem-estar de sua equipe de atendimento.


Já para os varejistas, um setor que corresponde a 30% do PIB global, o Microsoft Cloud for Retail tem serviços que consolidam fontes de dados de clientes díspares - os dados do varejista, os dados de seus fornecedores, os dados que a organização ainda não conhece - tudo para visualizar insights acionáveis ​​em minutos, em vez de dias. Ele conecta experiências ao longo da jornada do comprador de ponta a ponta, usando um conjunto de recursos que fornecem experiências mais relevantes e personalizadas e excelência operacional para uma lucratividade sustentada. Nossa nuvem começa com uma estrutura modular para que os varejistas possam inovar à medida que avançam.

Ainda dentro do varejo, o Microsoft Dynamics 365 Connected Store fornece os dados de observação em tempo real, que são usados ​​para melhorar as operações na loja, mantendo as filas de check-out curtas. Isso porque ele otimiza o espaço de varejo ao analisar o movimento do cliente e o status do produto para maximizar as vendas.

Outro recurso, o Microsoft Dynamics 365 Commerce permite a compra online com ferramentas inteligentes, que oferecem experiências de compra personalizadas, intuitivas e relevantes. Já o Microsoft Dynamics 365 Customer Insights e o Azure Synapse reúnem dados multicanais em tempo real para criar uma visão completa de cada cliente, facilitando as ações de fidelidade. E serviços como o Intelligent Recommendations oferecem uma experiência de e-commerce personalizada a partir de insights de dados.

Já a indústria de manufatura é um setor que, durante a pandemia, testemunhou uma interrupção significativa em termos de continuidade de negócios, visibilidade operacional, trabalho remoto e segurança dos funcionários. Os fabricantes precisam ter um sistema totalmente conectado para acelerar a produtividade do agente e do técnico e simplificar a pilha de tecnologia do contact center para reduzir a fragmentação e a sobrecarga de manutenção.

Estas são áreas onde a Microsoft pode ajudar. Queremos conectar experiências em operações, força de trabalho, design e engenharia, além de engajamento do cliente e a cadeia de valor ponta a ponta com a nossa nuvem para fabricação: isso vale para construção de fábricas ágeis, transformação da força de trabalho e engajamento de clientes de novas maneiras, criando cadeias de suprimentos mais resilientes e oferecendo novos serviços.

Para esse fim, a Microsoft investiu no pacote de serviços de aplicativos do Microsoft Dynamics 365. Ele otimiza a entrega de suporte e aumenta a satisfação do cliente, personalizando experiências e oferecendo maior envolvimento com base nas interações de marketing, vendas, comércio e serviço. E como o feedback direto é fundamental, pois acompanha continuamente a percepção dos clientes, o Dynamics 365 Customer Voice oferece recursos de pesquisa em tempo real para permitir que as organizações sejam ágeis em sua coleta e análise de feedback do cliente.

A manufatura também está usando o Microsoft Power Platform que ajuda os colaboradores a retornar ao local de trabalho com segurança. Para isso, ele conta com um sistema inteligente, que permite que eles façam a auto-avaliação antes de entrar nas instalações, controlem a ocupação por área, gerenciem suprimentos de saúde e outros recursos para manter os funcionários seguros quando eles precisa fazer check-in.

Por fim, especificamente no Microsoft Cloud para organizações sem fins lucrativos, reunimos o poder do Microsoft 365, Power Platform, Dynamics 365, Azure e o LinkedIn. Essa união consegue tornar o engajamento e a arrecadação de fundos, o gerenciamento de voluntários e o design e entrega de programas mais eficientes.

Ele é sustentado por um modelo de dados comum para as ONGs, tornando mais fácil e barato a essas entidades integrarem as soluções existentes e compartilhar dados em toda a organização. Nossa nuvem cria uma plataforma conectada e inteligente, que permite aos doadores saber exatamente como suas doações estão causando impacto e liberando a equipe para se concentrar em sua missão.


CT - A Microsoft contou com a consultoria de empresas ou entidades que representam as indústrias para construir suas nuvens segmentadas?

H.O.: Para habilitar esses grandes projetos de transformação digital, aprendemos há muito tempo que isso exige que os parceiros criem competências e práticas em nossas áreas de produtividade, processos de negócios, Dados & IA e soluções de infraestrutura.

Em toda a empresa, especialistas da indústria incorporados em nossa base de funcionários estão informando nossas prioridades - médicos trabalhando ao lado de equipes de engenharia em desafios de saúde, executivos de varejo imaginando novas experiências de clientes, especialistas financeiros nos ajudando a entender fintechs, bancos e pagamentos e líderes sem fins lucrativos que moldam nossa visão e soluções para impactar aqueles que ajudam os outros.

O profundo investimento da Microsoft em soluções do setor não é novo, já que fornecemos uma nuvem projetada especificamente para o governo dos EUA desde 2014. Contratamos médicos, engenheiros mecânicos e outros especialistas do setor, que realmente entendem os negócios de nossos clientes e trazem uma profunda especialização para nossas equipes de engenharia e liderança.


CT - As novas nuvens segmentadas da Microsoft são oferecidas para indústrias que trabalham com informações sensíveis, incluindo de consumidores. Como foi desenvolvida a parte de segurança para essas nuvens? Há soluções específicas para cada área para proteger esses dados?

H.O.: Como comentei antes, um dos diferenciais da oferta de nuvem da Microsoft é nosso profundo compromisso com a segurança, conformidade e confiança. A privacidade e a segurança dos dados são princípios de design fundamentais no desenvolvimento de nossas plataformas.

Nossa abordagem comprovada de privacidade é baseada no compromisso de dar ao cliente o controle sobre os dados colocados na nuvem, dados em repouso e em trânsito, com criptografia de última geração. A abordagem da Microsoft para proteger as informações de nossos clientes envolve uma estrutura de controle de segurança de tecnologias, procedimentos operacionais e políticas que podem se adaptar rapidamente às tendências e necessidades específicas do setor.

O Microsoft Azure, Microsoft Dynamics 365, Microsoft 365 e Microsoft Power Platform são serviços online baseados em assinatura, hospedados em nossos próprios datacenters. Esses serviços são projetados para fornecer desempenho, escalabilidade, segurança, recursos de gerenciamento e níveis de serviço necessários para aplicativos e sistemas de missão crítica usados ​​por organizações comerciais. Além disso, oferecemos um conjunto de ferramentas gerenciadas pelo cliente que se adaptam à organização e às suas necessidades de segurança.

Nosso centro de segurança e conformidade pode rastrear as atividades do usuário e do administrador, como ameaças de malware, incidentes de perda de dados e muito mais. Um painel de relatórios é usado para relatórios atualizados relacionados aos recursos de segurança e conformidade na organização. Os relatórios do Microsoft Azure Active Directory (Azure AD) são usados ​​para informar uma organização sobre atividades de entrada incomuns ou suspeitas.

Hohe, temos um ambiente complexo e com risco crescente de ataques cibernéticos, junto com o crescimento da computação de ponta, IA e outras tecnologias. E a Microsoft representa uma política de chamada Zero Trust em segurança cibernética, que é a base para a resiliência organizacional e o futuro da segurança.

Essa abordagem inclui etapas práticas, como verificação explícita (com base em todos os pontos de dados disponíveis, incluindo identidade do usuário, localização e integridade do dispositivo); acesso com privilégios mínimos (o que significa que as políticas baseadas em risco permitirão acesso apenas o suficiente, por tempo limitado necessário para equilibrar segurança e produtividade com base nas necessidades da pessoa que solicita o acesso); e a estratégia de "supor violação" - isso significa que, apesar de todas as proteções em vigor, assumimos que os sistemas irão falhar ou as pessoas cometerão erros, e um usuário não autorizado pode invadir nossa infraestrutura e serviços.

Essa postura nos coloca em uma posição "sempre alerta" para detectar rapidamente um risco e tomar as ações apropriadas.

CT - Em nuvens segmentadas, as atualizações de novos recursos também tornam-se mais ágeis? Há equipes específicas da Microsoft trabalhando nessa tarefa?

H.O.: Esses tempos desafiadores nos fizeram acelerar nossos esforços para apoiar e co-inovar com clientes e parceiros e apoiar organizações na linha de frente dos problemas mais urgentes do mundo. E, durante a pandemia da COVID-19, os setores estavam sendo impactados, enquanto a demanda por serviços aumentava mais do que nunca.

No outono passado, lançamos a disponibilidade geral do primeiro Microsoft Cloud for Healthcare e agora acabamos de anunciar a primeira atualização, pois tivemos uma forte resposta de nossos clientes e parceiros nos primeiros 90 dias. Continuamos a expandir as capacidades e aprimorar recursos para organizações de saúde. Também nos dá uma visão sobre futuros aprimoramentos. No caso Cloud for Healthcare, por exemplo, incluiremos soluções para medicina de precisão.

Reconhecemos que cada setor é único e nosso objetivo é fornecer soluções sob medida para suas necessidades específicas. Ouvimos profundamente nossos clientes e empregamos especialistas que trazem a perspectiva da indústria para todos os estágios de desenvolvimento de nosso produto. Além disso, contamos com parceiros que já utilizaram parte dessa tecnologia, tornando o processo de atualização mais ágil.

O ecossistema de parceiros da Microsoft inclui as melhores cabeças e a mais recente tecnologia de ponta, colaboração, design, treinamento, fabricação e entrega. Com as pessoas que contratamos para os produtos que construímos e as parcerias que desenvolvemos, oferecer produtos customizados à indústria tem sido o nosso foco há muitos anos. Mas tão importante quanto manter atualizações à medida que a inovação tecnológica avança, é permitir que os clientes podem se apropriar dessas bases para construir suas próprias soluções inovadoras.

CT - E como é definida qual a próxima vertical que ganhará a opção de nuvem segmentada da Microsoft? Que fatores a empresa considera?

H.O.: A pandemia foi um acelerador em nossos esforços para criar soluções de que nossos clientes precisavam para responder a desafios novos e sem precedentes. O ano passado exigiu mais agilidade do que nunca e mudou fundamentalmente a maneira como os negócios em todos os setores precisam evoluir.

Até o momento, a Microsoft anunciou nuvens do setor para cinco dos setores prioritários nos quais nos concentramos como empresa. Mas soluções adicionais podem ser anunciadas posteriormente.

Em todos os nossos setores prioritários - que incluem mais do que apenas esses cinco - trabalhamos em estreita colaboração com os líderes para equipá-los com tecnologia e ferramentas que possam acelerar sua transformação e enfrentar os desafios.

Em todas as nossas equipes de engenharia, vendas e marketing concordamos em atuar em oito setores prioritários: Saúde, Educação, Varejo e Bens de Consumo, Serviços Financeiros, Governo, Automotivo, Manufatura & Energia e Mídia & Comunicações. Dentro das indústrias, definimos melhor as verticais e os cenários para entrar no mercado.

Como os provedores de saúde enfrentaram cargas de trabalho sem precedentes em todo o mundo, a pandemia causou mudanças sísmicas em como, onde e quando os cuidados são prestados. A longo prazo, revelou a necessidade de mudanças fundamentais. Os desafios de não ter os dados certos, na hora certa e no formato certo para tomar decisões compartilhadas com os pacientes, ampliou a urgência em criar soluções para resolver desafios emergentes. Nossa resposta para enfrentar esses desafios urgentes foi o lançamento do Cloud for Healthcare em outubro.

Mas antes do lançamento desta nuvem, uma inovação importante lançada em 2019 ganhou uso mundial durante a pandemia. O Health Bot, um serviço em nuvem que capacita organizações de saúde a criar e implantar rapidamente assistentes de saúde virtuais com tecnologia de IA, fez a triagem de mais de 600 milhões de mensagens e implantou 2.300 bots contra a COVID-19 em 25 países em um ano, para atender a mais de 50 milhões de pessoas.

Em um momento em que os call centers e departamentos de emergência estavam sobrecarregados, este serviço ajudou hospitais e sistemas de saúde pública a comunicar orientações atualizadas, priorizar o atendimento aos pacientes mais urgentes e receber dados de tempo sobre as interações das pessoas com os bots.

Leia também:

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: