Mercado abrirá em 7 h 12 min
  • BOVESPA

    108.843,74
    -2.595,62 (-2,33%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.557,65
    -750,06 (-1,46%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,10
    +0,81 (+1,15%)
     
  • OURO

    1.762,70
    -1,10 (-0,06%)
     
  • BTC-USD

    42.502,96
    -3.203,84 (-7,01%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.061,04
    -73,34 (-6,47%)
     
  • S&P500

    4.357,73
    -75,26 (-1,70%)
     
  • DOW JONES

    33.970,47
    -614,41 (-1,78%)
     
  • FTSE

    6.903,91
    -59,73 (-0,86%)
     
  • HANG SENG

    23.953,51
    -145,63 (-0,60%)
     
  • NIKKEI

    29.970,94
    -529,11 (-1,73%)
     
  • NASDAQ

    15.071,00
    +61,50 (+0,41%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2914
    +0,0467 (+0,75%)
     

Ao decidir sobre Moraes, Pacheco agiu diferente do que fez no passado, diz Bolsonaro

·2 minuto de leitura

Por Eduardo Simões

SÃO PAULO (Reuters) – O presidente Jair Bolsonaro disse nesta quinta-feira em entrevista à Rádio Jornal de Pernambuco que o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), agiu de forma diferente do que fez no passado ao rejeitar o pedido de impeachment contra o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Bolsonaro disse lamentar a decisão de Pacheco e afirmou que quando o ministro do STF Luís Roberto Barroso determinou a abertura da CPI da Covid na Casa o presidente do Senado cumpriu a decisão.

“O presidente do Senado, o senhor Pacheco, entendeu e acolheu uma decisão da sua advocacia, da advocacia lá do Senado. Agora, quando chegou uma ordem do ministro Barroso para abrir a CPI da Covid, ele mandou abrir e ponto final. Ele agiu de maneira diferente de como agiu no passado”, disse Bolsonaro à emissora.

A legislação prevê que cabe ao presidente do Senado optar se dá ou não andamento a um pedido de impeachment contra um ministro do STF. Não dá ao presidente da Casa, no entanto, a opção de descumprir uma decisão judicial, como a dada por Barroso para que fosse aberta a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid.

O presidente assinou o pedido de impeachment contra Moraes e voltou a acusar o ministro de ignorar artigos da Constituição. Ele disse que seguirá lutando “dentro das quatro linhas” para, segundo ele, garantir a liberdade do povo.

“Nós sabemos, vocês sabem, que nessa briga eu estou praticamente sozinho. Quais as acusações contra o senhor ministro Alexandre de Moraes? Ele simplesmente ignora a Constituição”, acusou.

“Lamento a posição do senhor Pacheco no dia de ontem, mas nós continuaremos aqui no limite, dentro das quatro linhas, buscar garantir a liberdade do nosso povo.”

Bolsonaro, que na entrevista repetiu alegações já desmentidas e sem fundamentos contra o sistema eletrônico de votação, criticou Moraes pela condução do inquérito das Fake News e dos atos antidemocráticos, nos quais alguns aliados do presidente foram presos após divulgação de notícias falsas e ataques às instituições. Bolsonaro afirma que essas declarações são parte da “liberdade de expressão” de seus aliados.

Na quarta-feira, Pacheco citou argumentos jurídicos e políticos ao anunciar sua decisão de rejeitar e arquivar o pedido de impeachment contra Moraes.

This article was originally posted on FX Empire

More From FXEMPIRE:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos