Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.829,41
    -782,24 (-0,69%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.783,35
    +317,33 (+0,63%)
     
  • PETROLEO CRU

    86,92
    +0,31 (+0,36%)
     
  • OURO

    1.788,70
    -6,30 (-0,35%)
     
  • BTC-USD

    37.187,55
    +974,58 (+2,69%)
     
  • CMC Crypto 200

    844,79
    +2,34 (+0,28%)
     
  • S&P500

    4.377,51
    +51,00 (+1,18%)
     
  • DOW JONES

    34.373,97
    +213,19 (+0,62%)
     
  • FTSE

    7.466,07
    -88,24 (-1,17%)
     
  • HANG SENG

    23.550,08
    -256,92 (-1,08%)
     
  • NIKKEI

    26.717,34
    +547,04 (+2,09%)
     
  • NASDAQ

    14.229,00
    +242,25 (+1,73%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0104
    -0,0136 (-0,23%)
     

Ao comentar recessão, secretário de Guedes diz que mais importante do que o número de crescimento é verificar a 'qualidade'

·1 min de leitura

BRASÍLIA — Depois da divulgação de queda de 0,1% no PIB no terceiro trimestre, a Secretaria de Política Econômica (SPE) do Ministério da Economia disse que é mais importante olhar a qualidade do crescimento do que o número em si. A análise consta em uma nota informativa divulgada nesta quinta-feira.

— Tal como a SPE tem ressaltado, mais importante do que considerar o número do crescimento, é observar a sua qualidade — disse.

Ao analisar o resultado, a secretaria comandada por Adolfo Sachsida entendeu que alguns índices, como a taxa de poupança e de investimento apontam para uma qualidade maior da atividade.

“Se até 2013 o investimento era, em grande parte, financiado com recursos públicos, hoje o investimento é financiado majoritariamente pelo setor privado: os recursos, através de decisões do setor privado, vão para onde é mais eficiente e não mais para onde o Estado determina. A redução de direcionamento de crédito é fundamental para retomada do investimento”, diz a nota.

No documento, a SPE ressalta que é necessário diferenciar o que é política econômica e o que são fatores climáticos “adversos e pontuais”.

“A maior crise hídrica em 90 anos de história e a ocorrência de severas geadas tiveram impacto tanto em setores intensivos em energia como em setores que dependem do clima, como agricultura”, apontou.

Sobre esse tema, a nota ressaltou que a queda de 8% na agropecuária produziu um impacto de menos 0,5 ponto percentual no PIB e, se a variação fosse zerada, a atividade teria crescido de 0,3% a 0,4%.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos