Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.782,10
    +21,40 (+1,22%)
     
  • BTC-USD

    49.400,18
    +2.107,02 (+4,46%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

Anvisa solicita informações ao governo sobre dose de reforço contra covid-19

·1 min de leitura

A esta altura da pandemia, muitos olhares estão direcionados ao reforço contra a covid-19, principalmente depois que o Ministério da Saúde anunciou que a terceira dose estaria disponível para todos os brasileiros com mais de 18 anos. Foi com isso em mente que, nesta quinta (18), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) solicitou mais informações à Pasta sobre os elementos técnicos que embasaram essa decisão.

Até então, a terceira dose (ou segunda, no caso da vacina da Janssen) era liberada apenas para idosos, imunossuprimidos e profissionais de saúde. Com novo posicionamento do Ministério, quem tem entre 18 e 59 anos também vai poder tomar a dose extra do imunizante.

Anvisa solicita informações ao governo sobre dose de reforço da vacina contra covid-19 (Imagem: francescosgura/envato)
Anvisa solicita informações ao governo sobre dose de reforço da vacina contra covid-19 (Imagem: francescosgura/envato)

Segundo o comunicado da própria Anvisa, os esclarecimentos solicitados são necessários sob o ponto de vista sanitário, especialmente no que se refere ao monitoramento do uso dos novos esquemas vacinais no Brasil. "A Anvisa reconhece e estimula os movimentos que visam a ampliação da vacinação contra a covid-19 no Brasil. Ações com esse objetivo apontam para o compromisso com a saúde pública e reforçam que a vacinação é a forma mais eficaz de prevenir essa doença, incluindo as suas consequências mais graves, como hospitalização e óbito", aponta a agência.

A Anvisa acrescenta que os dados disponibilizados até então sugerem diminuição da imunidade em algumas populações, ainda que totalmente vacinadas, e ressalta que vem acompanhando as decisões de outros países sobre a vacinação de reforço.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos