Mercado abrirá em 7 h 29 min
  • BOVESPA

    106.247,15
    -2.542,18 (-2,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.394,03
    -1.070,00 (-2,08%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,01
    +0,42 (+0,38%)
     
  • OURO

    1.813,00
    -2,90 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    29.089,28
    -872,10 (-2,91%)
     
  • CMC Crypto 200

    647,96
    -22,72 (-3,39%)
     
  • S&P500

    3.923,68
    -165,17 (-4,04%)
     
  • DOW JONES

    31.490,07
    -1.164,52 (-3,57%)
     
  • FTSE

    7.438,09
    -80,26 (-1,07%)
     
  • HANG SENG

    20.123,32
    -520,96 (-2,52%)
     
  • NIKKEI

    26.453,15
    -458,05 (-1,70%)
     
  • NASDAQ

    11.922,00
    -13,50 (-0,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2336
    +0,0153 (+0,29%)
     

Anvisa prorroga prazo de uso emergencial da CoronaVac e de remédios contra covid

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) afirmou, na quinta-feira (12), que vai prorrogar a validade do uso emergencial de vacinas e remédios aprovados contra a covid-19. A decisão amplia o prazo para mais 12 meses e, neste intervalo, as farmacêuticas e os laboratórios devem solicitar o registro de uso definitivo das suas fórmulas.

"As autorizações atuais permanecerão válidas por mais um ano. Dentro desse prazo, as empresas que ainda tenham produtos nessa situação deverão solicitar o registro sanitário definitivo", explica a Anvisa em comunicado.

A decisão permitirá que diferentes alternativas no controle da covid-19 continuem a ter validade no Brasil. Mais especificamente, a medida deve beneficiar:

  • Vacina CoronaVac;

  • Anticorpos monoclonais Sotrovimab;

  • Anticorpos monoclonais Evusheld;

  • Remédio Paxlovid.

Outras vacinas, como as da Pfizer, da Johnson & Jonhson (Janssen) e da AstraZeneca/Fiocruz já tiveram seus registros definitivos aprovados pela Anvisa. Dessa forma, a decisão não afetará seus respectivos usos.

Uso emergencial de vacinas e remédios

Como o governo brasileiro decretou com o fim da Emergência de Saúde Pública de Importância Nacional, a partir do dia 22 de maio, as vacinas e remédios que tinham aprovação de uso emergencial estariam com o uso proibido no país.

Para evitar que o uso destes produtos fosse suspenso no Brasil, o Ministério da Saúde solicitou que o prazo de validade das licenças excepcionais fosse estendido por mais um ano. Agora, a Anvisa oficializou a solicitação.

"Com a resolução aprovada hoje, a Anvisa pretende manter o padrão atual no fornecimento de vacinas e medicamentos contra a covid-19", explica. Vale lembrar que o uso emergencial só foi concedido, porque uma resposta rápida ao contágio da covid-19 e ao aumento no número de casos e mortes no país era necessário. Sem eles, as vacinas poderiam levar mais tempo para serem aplicadas na população.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos