Mercado fechará em 4 h 17 min
  • BOVESPA

    112.111,89
    +233,36 (+0,21%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    43.674,83
    0,00 (0,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,19
    -0,09 (-0,20%)
     
  • OURO

    1.842,10
    +11,90 (+0,65%)
     
  • BTC-USD

    19.365,03
    +415,78 (+2,19%)
     
  • CMC Crypto 200

    380,75
    +6,34 (+1,69%)
     
  • S&P500

    3.672,85
    +3,84 (+0,10%)
     
  • DOW JONES

    29.996,00
    +112,21 (+0,38%)
     
  • FTSE

    6.462,78
    -0,61 (-0,01%)
     
  • HANG SENG

    26.728,50
    +195,92 (+0,74%)
     
  • NIKKEI

    26.809,37
    +8,39 (+0,03%)
     
  • NASDAQ

    12.493,50
    +39,25 (+0,32%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2747
    -0,0451 (-0,71%)
     

Anvisa informa que não recebeu pedido formal de registro de vacina russa

Ana Paula Machado
·1 minuto de leitura

Segundo a agência, também não há nenhum pedido formal que trate da autorização de pesquisa clínica no Brasil para o imunizante A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou que ainda não recebeu um pedido de registro formal por parte da União Química para a vacina contra covid-19 do governo russo. Segundo a agência, também não há nenhum pedido formal que trate da autorização de pesquisa clínica no Brasil para o imunizante. “A Anvisa recebeu nesta quinta-feira um e-mail do laboratório União Química comunicando sobre a apresentação apenas de documentos prévios. Os documentos foram enviados com um pedido para que a Anvisa faça uma análise prévia, antes da apresentação formal do pedido de pesquisa”, informou a agência. Em seu comunicado, o laboratório esclarece que os detalhes para a pesquisa clínica de fase 3 da vacina ainda serão apresentados. “As informações enviadas não são um pedido formal de autorização para a pesquisa e não são suficientes para a autorização da Anvisa”, afirmou. Segundo a Anvisa, a documentação para solicitar a autorização de pesquisa clínica chama-se Dossiê de Desenvolvimento Clínico de Medicamento (DDCM), que ainda não foi apresentado para essa vacina. “No e-mail enviado para a agência, o laboratório também manifestou interesse em realizar uma reunião de caráter técnico com a Anvisa antes de pedir formalmente a autorização da pesquisa clínica para a Sputnik V.” Segundo anunciou hoje, em Moscou, o Fundo de Investimento Direto da Rússia (RDIF), foi realizada ontem — juntamente com a farmacêutica brasileira União Química e o governo do Estado do Paraná — a pré-submissão à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) dos documentos preliminares para registrar a vacina russa Sputnik V.