Mercado abrirá em 7 h 12 min
  • BOVESPA

    110.203,77
    +2.266,66 (+2,10%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.104,39
    +213,80 (+0,42%)
     
  • PETROLEO CRU

    85,20
    -0,40 (-0,47%)
     
  • OURO

    1.847,40
    -5,10 (-0,28%)
     
  • BTC-USD

    37.381,35
    +1.155,19 (+3,19%)
     
  • CMC Crypto 200

    850,07
    +29,48 (+3,59%)
     
  • S&P500

    4.356,45
    -53,68 (-1,22%)
     
  • DOW JONES

    34.297,73
    -66,77 (-0,19%)
     
  • FTSE

    7.371,46
    +74,31 (+1,02%)
     
  • HANG SENG

    24.283,31
    +39,70 (+0,16%)
     
  • NIKKEI

    27.099,30
    -32,04 (-0,12%)
     
  • NASDAQ

    14.213,50
    +72,75 (+0,51%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1535
    +0,0014 (+0,02%)
     

Anvisa exige comprovante de vacinação para plataformas e embarcações de carga nos portos

·1 min de leitura

(Reuters) - A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou nesta quarta-feira medidas para reforçar ações de enfrentamento à Covid-19 em portos do país, incluindo a exigência de comprovante de vacinação para embarque e desembarque de plataformas e de embarcações de carga.

"A medida visa reforçar ações de enfrentamento à Covid-19, com especial atenção ao embarque e desembarque de tripulantes nos portos do país e tendo em vista o contexto da pandemia, que conta agora com a circulação da nova variante Ômicron", disse a Anvisa em nota.

De acordo com a agência, antes de dar acesso a bordo de embarcações e plataformas, os responsáveis legais deverão exigir de tripulantes, fornecedores e de profissionais da comunidade portuária o cumprimento de vários requisitos sanitários.

"Uma das principais condições será a apresentação de comprovação de vacinação completa contra a Covid-19, sendo esta a medida mais importante de saúde pública contra a doença", afirmou a Anvisa.

Também deverá ser exigida a comprovação da realização de teste laboratorial do tipo RT-PCR com resultado negativo, realizado 72 horas antes do momento do embarque, ou resultado não reagente por teste rápido de antígeno feito com 24 horas de antecedência da viagem.

A decisão da Anvisa foi tomada um dia após o governo federal rejeitar a cobrança do chamado passaporte da vacina para viajantes que entrarem no Brasil por via área, apesar de recomendação da agência reguladora nesse sentido.

Em vez de exigir o comprovante de vacinação, o governo federal decidiu que os visitantes terão que se submeter a uma quarentena de cinco dias e a um teste de Covid-19 após o período de isolamento.

(Por Pedro Fonseca, no Rio de Janeiro)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos