Mercado fechará em 6 h 24 min
  • BOVESPA

    129.658,33
    +144,71 (+0,11%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.558,32
    0,00 (0,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,49
    +0,19 (+0,26%)
     
  • OURO

    1.788,90
    +12,20 (+0,69%)
     
  • BTC-USD

    33.028,59
    -941,73 (-2,77%)
     
  • CMC Crypto 200

    791,68
    -50,96 (-6,05%)
     
  • S&P500

    4.272,90
    +6,41 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.326,95
    +130,13 (+0,38%)
     
  • FTSE

    7.133,52
    +23,55 (+0,33%)
     
  • HANG SENG

    29.288,22
    +405,76 (+1,40%)
     
  • NIKKEI

    29.066,18
    +190,95 (+0,66%)
     
  • NASDAQ

    14.378,25
    +24,00 (+0,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,8779
    +0,0156 (+0,27%)
     

Anvisa decidirá sobre importação de Sputnik e Covaxin nesta semana

·2 minuto de leitura
Anvisa decidirá sobre importação de Sputnik e Covaxin nesta semana
Anvisa decidirá sobre importação de Sputnik e Covaxin nesta semana

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) analisará nesta semana um pedido do Governo Federal sobre a importação da vacina indiana, Covaxin. O órgão também decidirá sobre um pedido dos governadores para importação da vacina russa contra a Covid-19, a Sputnik V.

A agência de regulação deveria ter apresentada uma decisão final até hoje, segundo a legislação aprovada pelo Congresso Nacional. Porém, o ministro Ricardo Lewandowski do Supremo Tribunal Federal (STF) aumentou em 5 dias o prazo para decisão.

Anvisa decidirá sobre importação de Sputnik e Covaxin nesta semana. Imagem: Shutterstock
Anvisa decidirá sobre importação de Sputnik e Covaxin nesta semana. Imagem: Shutterstock

Há poucos dias o Consórcio Nordeste havia encaminhado um relatório técnico feito pelo ministério de Saúde da Rússia à Anvisa solicitando a aprovação da Sputnik V. Entretanto, a agência apontou que a documentação estava incompleta e novos documentos estão sendo encaminhados.

Anvisa já havia negado os imunizantes anteriormente

Está não é a primeira vez que o Maranhão e outros estados pedem a aprovação do imunizante russo. No final de abril, a Anvisa já havia decidido por negar o uso emergencial da vacina por falta de documentos comprovando sua segurança.

A Anvisa afirmou que iria rever a decisão caso os documentos comprobatórios fossem apresentados. Entretanto, o Maranhão recorreu no STF questionando a quantidade de documentação exigida pela agência e alegando que os processos de importação e produção se misturam no julgamento da Anvisa, sendo que o primeiro seria mais fácil.

Leia também!

A Agência Nacional de Vigilância nega as alegações do governo maranhense.

Em relação a Covaxin, a Anvisa havia desaprovado a qualidade do laboratório Bharat Biotech, responsável pela fabricação do imunizante, durante a inspeção de segurança. Mas, devido alterações, a proposta será reavaliada.

Caso a importação das vacinas sejam aprovadas pela Anvisa, o Brasil receberá cerca de 95 milhões de doses de imunizante contra a Covid-19, sendo: 70 milhões da Sputnik V, 65 milhões de pré-contratos de governadores do nordeste e 10 milhões do Governo Federal, além de 20 milhões de doses da Covaxin provenientes de um acordo do Ministério da Saúde.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos