Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.800,79
    -3.874,54 (-3,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.868,32
    -766,28 (-1,48%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,81
    +0,19 (+0,26%)
     
  • OURO

    1.812,50
    -18,70 (-1,02%)
     
  • BTC-USD

    41.575,81
    -169,78 (-0,41%)
     
  • CMC Crypto 200

    955,03
    +5,13 (+0,54%)
     
  • S&P500

    4.395,26
    -23,89 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.935,47
    -149,06 (-0,42%)
     
  • FTSE

    7.032,30
    -46,12 (-0,65%)
     
  • HANG SENG

    25.961,03
    -354,29 (-1,35%)
     
  • NIKKEI

    27.283,59
    -498,83 (-1,80%)
     
  • NASDAQ

    14.966,50
    -71,25 (-0,47%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1880
    +0,1475 (+2,44%)
     

Anvisa autoriza testes com remédio para câncer para combater COVID-19

·1 minuto de leitura

Nesta segunda-feira (19), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou os estudos clínicos de um potencial medicamento off-label — quando a indicação da bula é diferente do que se quer tratar — contra o coronavírus SARS-CoV-2. O remédio proxalutamida será testado em pesquisa com 50 voluntários no Brasil contra a COVID-19 leve ou moderada.

Segundo nota da Anvisa, o estudo clínico da proxalutamida irá avaliar a segurança e a eficácia "na redução da infecção viral causada pelo novo coronavírus e no processo inflamatório provocado pela COVID-19". Fora do contexto da COVID-19, a proxalutamida é um anti-androgênico e seu uso é indicado para pacientes com alguns tipos de câncer, como o de próstata.

Anvisa autoriza testes com remédio de câncer de próstata para a COVID-19 (Imagem: Reprodução/Seventyfourimages/Envato)
Anvisa autoriza testes com remédio de câncer de próstata para a COVID-19 (Imagem: Reprodução/Seventyfourimages/Envato)

O estudo é patrocinado pela empresa Suzhou Kintor Pharmaceuticals, sediada na China, e será realizado na Alemanha, Argentina, África do Sul, Ucrânia, México, Estados Unidos e Brasil. Nacionalmente, 12 voluntários serão do estado de Roraima e outros 38 de São Paulo.

Este estudo será de Fase 3, randomizado, duplo-cego e controlado por placebo. Dessa forma, não serão todos os 50 participantes brasileiros que receberão a droga. Vale observar que a substância será testada apenas em pacientes ambulatoriais do sexo masculino com COVID-19 leve a moderada.

Anvisa autoriza estudo com a terceira dose da AstraZeneca

Ainda nesta segunda, a Anvisa também autorizou um estudo clínico para avaliar a segurança, a eficácia e a imunogenicidade de uma terceira dose da vacina Covishield (AstraZeneca/Oxford) em participantes do estudo inicial, ou seja, naqueles voluntários que já haviam recebido as duas doses do imunizante contra a COVID-19, com um intervalo de quatro semanas entre as aplicações.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos