Mercado fechado
  • BOVESPA

    125.052,78
    -1.094,22 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.268,45
    +27,95 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,17
    +0,10 (+0,14%)
     
  • OURO

    1.802,10
    +0,30 (+0,02%)
     
  • BTC-USD

    34.417,28
    +466,91 (+1,38%)
     
  • CMC Crypto 200

    786,33
    -7,40 (-0,93%)
     
  • S&P500

    4.411,79
    +44,31 (+1,01%)
     
  • DOW JONES

    35.061,55
    +238,15 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    27.321,98
    -401,82 (-1,45%)
     
  • NIKKEI

    27.548,00
    +159,80 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.091,25
    -6,75 (-0,04%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1225
    +0,0023 (+0,04%)
     

Anvisa autoriza estudo com terceira dose da AstraZeneca no Brasil

·1 minuto de leitura

Nesta segunda-feira (19), a Anvisa autorizou, além de testes com remédio contra câncer de próstata para combater a COVID-19, um estudo clínico para avaliar a segurança, a eficácia e a imunogenicidade de uma terceira dose da vacina Covishield (AstraZeneca/Oxford) em participantes do estudo inicial, ou seja, naqueles voluntários que já haviam recebido as duas doses do imunizante contra a COVID-19, com um intervalo de quatro semanas entre as aplicações.

Pesquisa de terceira dose é patrocinada pela AstraZeneca e ocorrerá em cinco estados brasileiros (Imagem: twenty20photos/Envato)
Pesquisa de terceira dose é patrocinada pela AstraZeneca e ocorrerá em cinco estados brasileiros (Imagem: twenty20photos/Envato)

"A terceira dose da vacina da AstraZeneca será aplicada entre 11 e 13 meses após a segunda dose.
Trata-se de um estudo de Fase 3, controlado, randomizado, simples-cego, ou seja, em que só o voluntário não saberá o que tomou: se uma dose da vacina ou de placebo", explicou a Anvisa, em nota.

No novo estudo, serão incluídos voluntários de 18 e 55 anos e que estejam "altamente expostos" à infecção do coronavírus, como profissionais de saúde. Patrocinado pela AstraZeneca, o estudo será realizado, exclusivamente, no Brasil e selecionará participantes nos estados da Bahia (1,5 mil voluntários), Rio de Janeiro (1,5 mil), Rio Grande do Sul (3 mil), Rio Grande do Norte (1,5 mil voluntários) e São Paulo (2,5 mil).

Na semana passada, a agência reguladora aprovou um outro estudo da AstraZeneca. No entanto, a pesquisa da semana passada busca avaliar um imunizante turbinado contra a COVID-19. Isso porque a fórmula foi desenvolvida a partir da variante Beta (B.1.351) do coronavírus, descoberta pela primeira vez na África do Sul.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos