Mercado fechará em 6 h 9 min
  • BOVESPA

    100.774,57
    -1.140,88 (-1,12%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.007,16
    +308,44 (+0,62%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,20
    -0,37 (-0,56%)
     
  • OURO

    1.781,60
    -2,70 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    56.419,75
    -816,88 (-1,43%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.439,23
    -29,85 (-2,03%)
     
  • S&P500

    4.513,04
    -53,96 (-1,18%)
     
  • DOW JONES

    34.022,04
    -461,68 (-1,34%)
     
  • FTSE

    7.101,80
    -66,88 (-0,93%)
     
  • HANG SENG

    23.788,93
    +130,01 (+0,55%)
     
  • NIKKEI

    27.753,37
    -182,25 (-0,65%)
     
  • NASDAQ

    15.819,00
    -50,75 (-0,32%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4231
    -0,0237 (-0,37%)
     

Anvisa aprova novo local para produção de insumo da AstraZeneca; e isso é ótimo

·1 min de leitura

Na terça-feira (9), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou que um novo local fabrique o insumo farmacêutico ativo biológico (Ifab) da vacina Covishield (AstraZeneca/Oxford) contra a covid-19. Após a fábrica argentina receber a Certificação de Boas Práticas de Fabricação (CBPF), a capacidade da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) em produzir ou importar imunizantes para os brasileiros deve ser ampliada.

Durante o processo de análise, a avaliação da Anvisa foi feita de forma remota. No entanto, foram consideradas credenciais e certificações de qualidade internacionais, como o relatório emitido pela ANMAT — a agência reguladora argentina e integrante do Pharmaceutical Inspection Co-operation Scheme.

Fábrica argentina poderá produzir matéria-prima para a vacina contra a covid-19 da AstraZeneca (Imagem: Reprodução/ Ssp48/Envato Elements)
Fábrica argentina poderá produzir matéria-prima para a vacina contra a covid-19 da AstraZeneca (Imagem: Reprodução/ Ssp48/Envato Elements)

Por que a liberação de novos locais é boa para o Brasil?

Localizada em Buenos Aires, na Argentina, a fábrica MABXIENCE S.A.U., agora, poderá produzir o insumo da vacina contra a covid-19 e exportá-lo para o Brasil. Vale lembrar que, no momento, a Fiocruz depende de importações do material.

Dessa forma, "a inclusão dessa planta fabril aumentará o leque de opções para o fornecimento do insumo para a vacina após a inclusão desse novo local de fabricação no registro do produto", explica a Anvisa, em nota. Outra possibilidade é a importação de doses já prontas do imunizante.

Atualmente, o insumo farmacêutico biológico da vacina Covishield pode ser produzido apenas pela Fiocruz e por uma fábrica chinesa, a WUXI BIOLOGICS. No entanto, o processo de transferência de tecnologia ainda está em andamento no caso brasileiro. Dessa maneira, a produção nacional ainda não atende a demanda brasileira.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos