Mercado fechado
  • BOVESPA

    109.114,16
    -2.601,84 (-2,33%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.808,56
    -587,38 (-1,29%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,57
    -0,14 (-0,18%)
     
  • OURO

    1.632,90
    -0,50 (-0,03%)
     
  • BTC-USD

    19.145,95
    +351,87 (+1,87%)
     
  • CMC Crypto 200

    438,96
    +5,86 (+1,35%)
     
  • S&P500

    3.655,04
    -38,19 (-1,03%)
     
  • DOW JONES

    29.260,81
    -329,60 (-1,11%)
     
  • FTSE

    7.020,95
    +2,35 (+0,03%)
     
  • HANG SENG

    17.855,14
    -78,13 (-0,44%)
     
  • NIKKEI

    26.431,55
    -722,28 (-2,66%)
     
  • NASDAQ

    11.322,50
    +6,25 (+0,06%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1666
    +0,0690 (+1,35%)
     

Anvisa aprova 1º teste para diagnosticar monkeypox no Brasil

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou, na tarde desta terça-feira (20), o primeiro teste para o diagnóstico da varíola dos macacos (monkeypox) no Brasil. O kit molecular foi desenvolvido pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e é produzido pelo Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos), no Rio de Janeiro.

Na segunda-feira (19), a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) incluiu o teste de diagnóstico da monkeypox no rol de procedimentos que devem ter cobertura garantida por planos de saúde privados.

Primeiro teste para diagnóstico da monkeypox é aprovado

O kit de diagnóstico da Fiocruz usa a tecnologia da proteína C-reativa (PCR) em Tempo Real — no caso da covid-19, o PCR é o padrão-ouro no diagnóstico — e um swab (cotonete) seco para coleta das amostras clínicas. Além da monkeypox, o teste também pode detectar regiões genômicas dos vírus orthopox e varicella zoster (herpes).

Anvisa aprova o primeiro teste para o diagnóstico da monkeypox no Brasil (Imagem: Vesna Harni/Pixabay)
Anvisa aprova o primeiro teste para o diagnóstico da monkeypox no Brasil (Imagem: Vesna Harni/Pixabay)

“A avaliação do pedido de registro pela Anvisa levou 39 dias, incluindo 17 dias utilizados pela empresa solicitante para atender as exigências técnicas feitas pela agência. A avaliação dos testes para monkeypox ocorre em regime de prioridade na agência, conforme decisão da diretoria colegiada”, explica a agência, em nota.

Planos são obrigados a cobrir exame da varíola dos macacos

De acordo com a última normativa da ANS, testes para a varíola dos macacos entram na cobertura obrigatória dos planos de saúde. No entanto, a resolução pontua que os exames da monkeypox serão somente cobertos quando há solicitação de um médico responsável.

"A inclusão do exame complementar na lista de coberturas obrigatórias foi feita de forma extraordinária, diante do cenário da doença que, atualmente, põe o Brasil entre os seis países com o maior número de casos confirmados em todo o mundo", comenta a ANS, em comunicado.

Casos da monkeypox no Brasil

Na segunda-feira (19), o Ministério da Saúde contabilizava 7.019 casos oficiais da varíola dos macacos, incluindo duas mortes. Além disso, outros 5.591 casos são considerados suspeitos para a infecção. A seguir, confira os cinco estados que mais registram casos de monkeypox:

  1. São Paulo: 3.495 diagnósticos positivos para a varíola dos macacos;

  2. Rio de Janeiro: 956 diagnósticos;

  3. Minas Gerais: 447 diagnósticos;

  4. Goiás: 405 diagnósticos;

  5. Distrito Federal: 241 diagnósticos.

No ranking global, o Brasil ocupa a terceira posição entre os países que mais registraram casos da varíola dos macacos, segundo a plataforma Our World in Data. No levantamento, os Estados Unidos ocupam a primeira posição, com 23.440 casos. Em segundo, está a Espanha, que contabiliza 7.037 casos.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: