Mercado abrirá em 8 h 34 min
  • BOVESPA

    101.016,96
    -242,79 (-0,24%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.245,86
    -461,86 (-1,19%)
     
  • PETROLEO CRU

    38,68
    +0,12 (+0,31%)
     
  • OURO

    1.910,50
    +4,80 (+0,25%)
     
  • BTC-USD

    13.104,94
    -3,85 (-0,03%)
     
  • CMC Crypto 200

    261,26
    -2,16 (-0,82%)
     
  • S&P500

    3.400,97
    -64,42 (-1,86%)
     
  • DOW JONES

    27.685,38
    -650,19 (-2,29%)
     
  • FTSE

    5.792,01
    -68,27 (-1,16%)
     
  • HANG SENG

    24.665,86
    -252,92 (-1,01%)
     
  • NIKKEI

    23.428,70
    -65,64 (-0,28%)
     
  • NASDAQ

    11.494,25
    +2,00 (+0,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6446
    +0,0041 (+0,06%)
     

Anvisa aposta em método mais fácil para analisar vacinas contra a COVID-19

Nathan Vieira
·1 minuto de leitura

Com a pandemia, inúmeras empresas passaram a investir numa candidata à vacina. No caso do Brasil, que estabelece parceria com várias candidatas à vacina, como a Coronavac, da China, tudo precisa passar pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para que possa entrar em vigor. Tendo em mente a urgência da situação, a Anvisa implementará um novo procedimento para tornar mais rápida a análise de dados referentes às vacinas contra COVID-19 a serem registradas no país. O nome desse novo método é submissão contínua.

Esse procedimento de submissão contínua implica no seguinte: conforme os dados técnicos forem gerados, deverão ser apresentados à Agência, de modo que o processo regulatório seja agilizado. Dessa forma, as empresas interessadas no registro de vacinas COVID-19 não precisarão aguardar a disponibilização de todos os dados e documentos técnicos nem o preenchimento de todos os requerimentos regulatórios para então apresentá-los à Anvisa por meio da submissão do pedido de registro.

Anvisa aposta em método mais fácil para analisar vacinas contra a COVID-19 (Imagem: Gustavo Fring / Pexels)
Anvisa aposta em método mais fácil para analisar vacinas contra a COVID-19 (Imagem: Gustavo Fring / Pexels)

Durante o anúncio do procedimento, a própria Anvisa garantiu que a submissão contínua não afeta em nada o padrão de qualidade requerido. Basicamente, essa estratégia tem como objetivo acelerar a disponibilização à população brasileira de vacinas contra o novo coronavírus, desde que demonstradas a sua qualidade, segurança e eficácia, conforme os requerimentos técnicos e regulatórios vigentes.

"A Anvisa mantém, portanto, seu compromisso em disponibilizar, da forma mais rápida possível, o acesso a vacinas comprovadamente de qualidade, seguras e eficazes em contextos de emergência em saúde pública, inovando seus processos de trabalho", declara a agência.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: