Mercado abrirá em 4 h 10 min
  • BOVESPA

    122.515,74
    +714,95 (+0,59%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.869,48
    +1,16 (+0,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,62
    +0,36 (+0,51%)
     
  • OURO

    1.813,70
    -8,50 (-0,47%)
     
  • BTC-USD

    38.618,94
    -982,41 (-2,48%)
     
  • CMC Crypto 200

    935,75
    -25,15 (-2,62%)
     
  • S&P500

    4.387,16
    -8,10 (-0,18%)
     
  • DOW JONES

    34.838,16
    -97,31 (-0,28%)
     
  • FTSE

    7.104,68
    +22,96 (+0,32%)
     
  • HANG SENG

    26.194,82
    -40,98 (-0,16%)
     
  • NIKKEI

    27.641,83
    -139,19 (-0,50%)
     
  • NASDAQ

    14.984,75
    +32,00 (+0,21%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1192
    -0,0249 (-0,41%)
     

Anunciantes do Facebook se preocupam pela quantidade de usuários que pedem para não serem rastreados

·2 minuto de leitura
Anunciantes do Facebook se preocupam pela quantidade de usuários que pedem para não serem rastreados
Anunciantes do Facebook se preocupam pela quantidade de usuários que pedem para não serem rastreados

As mudanças nos termos de privacidade do iOS 14.5 no iPhone seguem causando problemas para o Facebook, especialmente os usuários que pedem para não serem rastreados. De acordo com um levantamento da empresa de inteligência de mercado Branch, a desativação do sistema de rastreamento dos dispositivos estaria afetando a performance dos anunciantes da rede social.

O iOS 14.5 adota um novo protocolo de segurança batizado pela Apple de App Tracking Transparency (ATT) e permite que os proprietários do iPhone determinem os níveis de privacidade de cada aplicativo, forçando os desenvolvedores a serem mais claros quanto ao uso dos dados captados em cada serviço. Ele também possibilita que os usuários desativem recursos como o armazenamento dos seus hábitos, bem como a localização de quem está utilizando o smartphone.

De acordo com o levantamento da Branch, após as atualizações, apenas 25% dos proprietários do iPhone permitiram a captação dos dados por parte do Facebook. Esta queda estaria afetando os ganhos da plataforma, uma vez que um dos principais modelos do seu negócio está na criação de anúncios que aproveitam os hábitos, interesses e localização dos usuários para conectá-los com as marcas.

Impacto na publicidade
Atualizações do iOS 14.5 impactam receita de anúncios do Facebook. Imagem: bombuscreative/iStock Photos
Atualizações do iOS 14.5 impactam receita de anúncios do Facebook. Imagem: bombuscreative/iStock Photos

Imagem: bombuscreative/iStock

A pesquisa indica que os prejuízos para o Facebook foram contabilizados já no primeiro após a atualização do iPhone. As empresas de publicidade estariam diminuindo os seus investimentos na plataforma alegando que o Facebook já não é tão confiável quanto ao retorno dos seus anúncios.

Segundo os anunciantes, nos Estados Unidos, a taxa de conversão de vendas derivadas de anúncio do Facebook diminuiu de 95% para aproximadamente 64% em contas de grandes varejistas. Isto é, empresas que investem uma média maior de US$ 1 milhão (aproximadamente R$ 5,3 milhões) por mês. No caso de pequenas empresas, a queda pode chegar em até 64%

Prejuízo era previsto pelo Facebook

Embora o Facebook se recuse em divulgar a porcentagem exata de usuários do iPhone que adotou ao protocolo ATT, a Branch estipula que se apenas 10% dos proprietários de um smartphone Apple optar pelo não rastreamento dos seus dados, o impacto na rede social será de uma queda aproximadamente 13,6% na receita gerada por usuário.

A confirmação deste levantamento deve acontecer no final do mês, quando o Facebook encerrará o balanço de custos e ganhos do trimestre para apresentar os resultados aos investidores. Apesar das perdas, tudo indica que o Facebook já havia previsto tamanho prejuízo e tratou de modificar o formato de ganhos do seu negócio.

Além de expandir a atuação da rede social como uma plataforma com novas ferramentas para entretenimento, que monetizará criadores em lives, vídeos e podcasts. O grupo de Mark Zuckerberg tem demonstrado cada vez mais a sua prioridade em relação ao Instagram, que também passou por mudanças no plano de negócios no último mês, declarando que deixará de ser uma plataforma cujo foco são as fotos para priorizar de vez o conteúdo em vídeo.

Via Bloomberg

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos