Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.036,79
    +2.372,44 (+2,20%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.626,80
    -475,75 (-1,05%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,74
    -1,49 (-1,83%)
     
  • OURO

    1.668,30
    -0,30 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    19.317,94
    -258,96 (-1,32%)
     
  • CMC Crypto 200

    443,49
    +0,06 (+0,01%)
     
  • S&P500

    3.585,62
    -54,85 (-1,51%)
     
  • DOW JONES

    28.725,51
    -500,10 (-1,71%)
     
  • FTSE

    6.893,81
    +12,22 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    17.222,83
    +56,96 (+0,33%)
     
  • NIKKEI

    25.937,21
    -484,84 (-1,83%)
     
  • NASDAQ

    11.058,25
    -170,00 (-1,51%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,3079
    +0,0099 (+0,19%)
     

Antigo Comperj registra alta de custos e tem duas mil demissões

Os novos problemas nas finanças da Comperj começaram junto com a pandemia (Getty Image)
Os novos problemas nas finanças da Comperj começaram junto com a pandemia (Getty Image)
  • Empresa ficou conhecida durante a operação Lava-Jato

  • Companhia é acusada de demitir 90% da equipe

  • Novas questões financeiras teriam surgido durante a pandemia

Conhecido como o símbolo da corrupção revelada pela Operação Lava-Jato, o Comperj está envolvido em novas polêmicas. Renomeado como Polo GasLub, o empreendimento registrou aumentos de custo e duas mil demissões.

O local foi criado para ser um complexo petroquímico da Petrobras, com duas refinarias. Atualmente, conta apenas com a unidade de processamento de gás natural (UPGN).

Uma apuração realizada pelo jornal Extra mostra possíveis desentendimentos entre entre a estatal e a empresa criada para construir a UPGN, a Kerui Método Construção e Montagem (KM)

Desde o começo das obras de terraplanagem em Itaboraí, Região Metropolitana do Rio, em 2018, a estatal já teve um prejuízo US$ 14 bilhões com o complexo. O dinheiro foi perdido em pagamentos de propinas, mudanças no projeto e obras superfaturadas.

A sociedade de propósito específico (SPE) composta pela empresa chinesa Kerui Petroleum e a companhia brasileira de engenharia Método Potencial foi firmada o início de 2016. No ano seguinte, ganharam a concorrência do projeto. O contrato foi assinado em 2018.

Os novos problemas nas finanças começaram junto com a pandemia, no começo de 2020, quando a Prefeitura de Itaboraí solicitou a redução de 70% do efetivo de trabalhadores no Comperj.

Com os prejuízos e dificuldades, a corporação realizou um corte de 90% na equipe de funcionários. Juntando a demissão e a demora no pagamento dos direitos trabalhistas, avaliados em cerca de R$ 60 milhões, os trabalhadores que ainda estão em atividade ameaçam greve.

Procurada pelo jornal, a Petrobras diz que o desligamento de colaboradores nas obras do GasLub “é uma decisão unilateral da empresa SPE Kerui-Método”. Informa estarem dia com os seus compromissos com a KM e que o contrato permanece em execução.