Mercado fechará em 3 h 26 min
  • BOVESPA

    108.205,83
    -2.580,60 (-2,33%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.832,23
    -465,97 (-0,89%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,47
    -1,95 (-2,34%)
     
  • OURO

    1.781,90
    -3,00 (-0,17%)
     
  • BTC-USD

    62.662,76
    -3.914,50 (-5,88%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.491,36
    -43,29 (-2,82%)
     
  • S&P500

    4.527,73
    -8,46 (-0,19%)
     
  • DOW JONES

    35.452,99
    -156,35 (-0,44%)
     
  • FTSE

    7.195,78
    -27,32 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    26.017,53
    -118,49 (-0,45%)
     
  • NIKKEI

    28.708,58
    -546,97 (-1,87%)
     
  • NASDAQ

    15.422,25
    +44,75 (+0,29%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5749
    +0,0553 (+0,85%)
     

Antidepressivos retardam desenvolvimento do câncer em roedores

·1 minuto de leitura

Um novo estudo da Universidade de Zurique (Suíça) percebeu uma capacidade curiosa presente nos antidepressivos: retardar o desenvolvimento do câncer de pâncreas e cólon. Quando combinados com a imunoterapia, os antidepressivos chegaram até mesmo a interromper o crescimento do câncer a longo prazo. A pesquisa em questão foi conduzida com camundongos, mas a ideia é levar esse estudo para os humanos também.

Em alguns casos, os tumores desapareceram completamente, observaram os pesquisadores. “Os medicamentos já aprovados para uso clínico como antidepressivos podem ajudar a melhorar o tratamento de cânceres pancreáticos e colorretais até então incuráveis”, afirmam os autores do estudo.

Embora novos tratamentos eficazes estejam disponíveis, a maioria dos pacientes com tumores abdominais em estágio avançado, como câncer de cólon ou pâncreas, morre poucos anos ou mesmo semanas após o diagnóstico. Um problema é que as células tumorais se tornam resistentes aos medicamentos com o tempo e não são mais reconhecidas pelo sistema imunológico. Com isso em mente, os pesquisadores descobriram uma atuação da serotonina (neurotransmissor bloqueado pelo antidepressivo) justamente nessa resistência de células tumorais.

(Imagem: claudioventrella/Envato)
(Imagem: claudioventrella/Envato)

As células do câncer usam a serotonina para aumentar a produção de uma molécula imunoinibidora. Essa molécula se liga às células T, um tipo específico de célula imune que reconhece e elimina células tumorais e as torna disfuncionais. Assim, o câncer evita ser destruído pelo sistema imunológico. No experimentos, os pesquisadores mostraram que os antidepressivos impedem esse mecanismo.

“Essa classe de antidepressivos e outros bloqueadores da serotonina fazem com que as células do sistema imunológico reconheçam e eliminem de forma eficiente as células tumorais. Isso desacelerou o crescimento dos cânceres”, reiteram os autores do artigo. O estudo completo pode ser acessado aqui.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos