Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,63 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,59 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,45
    -0,52 (-0,72%)
     
  • OURO

    1.748,70
    -2,70 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    47.162,30
    -835,87 (-1,74%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.178,61
    -46,92 (-3,83%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,42 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.158,50
    -762,26 (-3,06%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,75 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.290,00
    -36,00 (-0,23%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1892
    -0,0102 (-0,16%)
     

Anticorpos gerados por vacinas contra covid decaem após 4 meses, reforça estudo

·1 minuto de leitura

Mais um estudo, desta vez realizado na Índia, demonstra que os anticorpos produzidos pela vacinação contra a covid-19 decaem significativamente após quatro meses da aplicação.

O estudo, divulgado ainda em formato de preprint, sem revisão por pares, acompanhou 614 pessoas vacinadas com dois imunizantes distintos: a Covishield, desenvolvida por Oxford/AstraZeneca, e a Covaxin, desenvolvida pelo laboratório indiano Bharat Biotech.

Vale notar que, apesar da queda de anticorpos, a vacina produz outros tipos de defesas no organismo. Ela é capaz de induzir a produção de células de memória que são rapidamente ativadas em caso de infecção e produzem mais anticorpos quando necessário.

Anticorpos tendem a desaparecer do organismo, mas podem ser produzidos pelas células de memória que permanecem(Imagem: iLexx/Envato Elements)
Anticorpos tendem a desaparecer do organismo, mas podem ser produzidos pelas células de memória que permanecem(Imagem: iLexx/Envato Elements)

A pesquisa será utilizada para estabelecer a necessidade de reforço para a vacina no país, como já tem sido feito em vários outros países, em especial no Ocidente, em regiões onde as campanhas de imunização estão mais avançadas.

Ainda que a pesquisa mostre que talvez o reforço possa ser uma estratégia efetiva de imunização coletiva, ela não é a prioridade no momento. O país tem uma população gigantesca, e o governo local pretende ampliar o número de pessoas com duas doses.

A Índia tem 944 milhões de adultos, e 60% deles já receberam ao menos uma dose de algum dos imunizantes disponíveis por lá. Apenas 19% já completaram o regime vacinal.

Vale dizer que a Índia também foi o local de descobrimento da variante Delta do coronavírus, que causou uma onda violenta de mortes por volta de maio de 2021 e agora já se tornou dominante no mundo inteiro. Hoje, já são mais de 440 mil mortes registradas oficialmente no país.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos