Mercado fechado
  • BOVESPA

    107.916,18
    -1.025,50 (-0,94%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.844,81
    -754,57 (-1,46%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,80
    -1,34 (-1,57%)
     
  • OURO

    1.842,00
    +10,20 (+0,56%)
     
  • BTC-USD

    36.970,29
    +1.717,02 (+4,87%)
     
  • CMC Crypto 200

    841,17
    +30,57 (+3,77%)
     
  • S&P500

    4.410,13
    +12,19 (+0,28%)
     
  • DOW JONES

    34.364,50
    +99,13 (+0,29%)
     
  • FTSE

    7.297,15
    -196,98 (-2,63%)
     
  • HANG SENG

    24.656,46
    -309,09 (-1,24%)
     
  • NIKKEI

    27.588,37
    +66,11 (+0,24%)
     
  • NASDAQ

    14.473,50
    +47,00 (+0,33%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2165
    +0,0265 (+0,43%)
     

Antes pioneira, Blockbuster pode voltar como serviço de streaming

·2 min de leitura
Blockbuster chegou ao Brasil em 1995, revolucionando o jeito de se alugar fitas cassetes (Getty Images)
Blockbuster chegou ao Brasil em 1995, revolucionando o jeito de se alugar fitas cassetes (Getty Images)
  • Pioneira no aluguel de fita cassete, ideia é revolucionar serviços de streaming

  • Blockbuster DAO está tentando arrecadar cerca de R$ 27 milhões para adquirir os direitos

  • Dish Network comprou a Blockbuster em 2011 por mais de R$ 1,7 bi na conversão atual 

Para os mais novos, o nome Blockbuster pode até soar um pouco estranho. Já para os mais experientes, vividos, o termo causa até certa nostalgia. Afinal, quando chegou ao Brasil em 1995 - pertencente ao grupo B2W, que deteve o direito de uso da marca desde 2007 -, foi para revolucionar o aluguel de fitas cassetes (e, depois, de DVDs) e até de assistir a um filme em família e/ou entre amigos. No entanto, com o crescimento de novas tecnologias, perdeu-se o hábito de frequentar locadoras físicas. E as mesmas foram dando lugar aos serviços de streaming. Justamente onde a Blockbuster pode ressurgir.

Leia também:

Fechamento das lojas

Depois de viver seu auge na década de 1990, a Blockbuster anunciou o fechamento de suas lojas físicas em todo o país no ano de 2013, transformando-as em postos de locação nas Lojas Americanas - o fechamento de outras 300 lojas restantes nos EUA aconteceram pouco depois, naquele mesmo ano. Além disso, a companhia também revelou - à época - que o aluguel de filmes por e-mail também seria descontinuado.

Hora de ressurgir

Buscando reativar um dos nomes mais famosos deste ramo - e revolucionar, mais uma vez, a indústria do cinema -, uma entidade chamada Blockbuster DAO está tentando arrecadar cerca de R$ 27 milhões (US$ 5 mi) para adquirir os direitos de propriedade intelectual da marca Blockbuster Video - que pertence atualmente à Dish Network. A ideia desta DAO (Organização Autônoma Descentralizada), é automatizar a maioria das decisões colocando mais poder na mão dos espectadores em relação às licenças e programas originais na plataforma.

Problema à vista

A grande questão gira em torno das intenções da Dish Network com o licenciamento da marca. Isso porque a empresa pode pode considerar o valor que a DAO tenta arrecadar - de R$ 27 milhões (US$ 5 mi) - uma oferta baixa demais, já que eles compraram a Blockbuster em 2011 por U$S 320 milhões (mais de R$ 1,7 bi na conversão atual). É difícil imaginar que eles queiram se desfazer da marca, ainda mais que nos últimos anos eles licenciaram o logo da Blockbuster em diversos produtos. Até no primeiro filme da Capitã Marvel houve uma aparição.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos