Mercado abrirá em 1 h 16 min
  • BOVESPA

    111.716,00
    -2.354,00 (-2,06%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.395,94
    -928,96 (-2,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,14
    -0,60 (-0,76%)
     
  • OURO

    1.648,00
    -7,60 (-0,46%)
     
  • BTC-USD

    18.867,51
    -221,57 (-1,16%)
     
  • CMC Crypto 200

    432,03
    -12,51 (-2,81%)
     
  • S&P500

    3.693,23
    -64,76 (-1,72%)
     
  • DOW JONES

    29.590,41
    -486,29 (-1,62%)
     
  • FTSE

    6.964,96
    -53,64 (-0,76%)
     
  • HANG SENG

    17.855,14
    -78,13 (-0,44%)
     
  • NIKKEI

    26.431,55
    -722,28 (-2,66%)
     
  • NASDAQ

    11.318,50
    -58,25 (-0,51%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,0741
    -0,0235 (-0,46%)
     

Ansiedade por inflação derruba sentimento dos consumidores alemães; pessimismo diminui na França

Mercado em Nice, França

Por Leigh Thomas

PARIS (Reuters) - O sentimento dos consumidores nas duas maiores economias da zona do euro divergiu fortemente em agosto, com os consumidores franceses se beneficiando de novas medidas do governo enquanto as preocupações com o aumento das contas de energia atingiram os alemães, mostraram pesquisas nesta sexta-feira.

A agência de estatísticas oficial da França, Insee, disse que seu índice de confiança do consumidor subiu para leitura de 82, de 80 em julho, acima da expectativa de 79 em uma pesquisa da Reuters com economistas. Esse foi o primeiro aumento no sentimento do consumidor em sete meses.

Em nítido contraste, uma pesquisa desta sexta-feira mostrou que o sentimento do consumidor alemão deve atingir mínima recorde pelo terceiro mês consecutivo em setembro, à medida que os consumidores se preparam para contas de energia cada vez mais altas.

A pesquisa do instituto GfK mostrou que seu índice de confiança do consumidor caiu para -36,5 para setembro, contra expectativa em pesquisa da Reuters de leitura de -31,8.

O instituto disse que os consumidores alemães estão tendo que reservar dinheiro para futuras contas de energia e que a situação pode piorar se a escassez de gás no inverno elevar ainda mais os preços.

As famílias alemãs, que já enfrentam a perspectiva de taxas sobre o gás, podem ser obrigadas a pagar uma conta ainda maior durante a atual crise de energia, disse o economista-chefe da Hauck Aufhaeuser Lampe, Alexander Krueger, pesando ainda mais nos gastos do consumidor na maior economia da Europa.

"O que deve ficar claro é que a recessão que se aproxima será alimentada principalmente pelo consumo. Uma vez que o governo causou o desastre do gás, deve fornecer muito mais alívio do que está sinalizando atualmente", disse ele.