Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.923,93
    +998,33 (+0,90%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.234,37
    -223,18 (-0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,34
    -0,88 (-1,08%)
     
  • OURO

    1.797,30
    -3,80 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    17.048,24
    +57,49 (+0,34%)
     
  • CMC Crypto 200

    404,33
    +2,91 (+0,72%)
     
  • S&P500

    4.071,70
    -4,87 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    34.429,88
    +34,87 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.556,23
    -2,26 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    18.675,35
    -61,09 (-0,33%)
     
  • NIKKEI

    27.777,90
    -448,18 (-1,59%)
     
  • NASDAQ

    11.979,00
    -83,75 (-0,69%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4940
    +0,0286 (+0,52%)
     

ANS torna obrigatória a cobertura de remédios contra asma e câncer

Na última quarta-feira (9), a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) anunciou que os planos de saúde passam a cobrir obrigatoriamente os tratamentos com medicamentos contra asma e câncer. A informação vem através de uma publicação do Diário Oficial da União.

Conforme aponta o relatório, o medicamento a ter cobertura obrigatória em tratamentos contra a asma é o Dupilumabe, que costuma ser utilizado para o tratamento de pacientes acima de 12 anos com dermatite atópica moderada a grave cuja doença não é adequadamente controlada com tratamentos tópicos, ou quando estes tratamentos não são aconselhados.

O Dupilumabe deve ser administrado através de injeção subcutânea, e pode ser autoadministrado pelo paciente, por um profissional de saúde ou administrado por um cuidador, após receber orientações de um profissional de saúde sobre as técnicas apropriadas.

Vale lembrar que o Dupilumabe é contraindicado em pacientes com hipersensibilidade conhecida ao princípio ativo ou a qualquer excipiente da fórmula.

ANS torna obrigatória a cobertura de remédios contra asma e câncer (Imagem: Zozulinskyi/Envato)
ANS torna obrigatória a cobertura de remédios contra asma e câncer (Imagem: Zozulinskyi/Envato)

Por sua vez, os medicamentos utilizados contra o câncer, agora cobertos obrigatoriamente pelos planos de saúde, são orais: Niraparibe, Axitinibe (em combinação com Pembrolizumabe) e Levomalato de Cabozantinibe (em combinação com Nivolumabe).

O Niraparibe é usado em terapias de manutenção de pacientes adultas com carcinoma de ovário, da trompa de Falópio ou peritoneal primário avançado de alto grau, e é contraindicado nos casos de hipersensibilidade ao ingrediente ativo ou a qualquer um dos excipientes ou em caso de lactantes (amamentação durante o tratamento e até 1 mês após a última dose).

Já o Axitinibe, em combinação com Pembrolizumabe, é indicado para tratamento de pacientes com carcinoma de células renais (CCR) avançado ou metastático, com risco prognóstico IMDC intermediário ou desfavorável. Enquanto isso, o Levomalato de Cabozantinibe, em combinação com Nivolumabe, é usado no tratamento de carcinoma de células renais (CCR) avançado.

A cobertura obrigatória dos remédios contra asma e câncer trazem um alívio aos pacientes, considerando que no mercado privado, esses medicamentos custam em torno de R$ 10 mil e R$ 30 mil.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: