Mercado fechará em 15 mins
  • BOVESPA

    125.858,15
    +805,37 (+0,64%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.917,37
    +648,92 (+1,29%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,10
    +0,03 (+0,04%)
     
  • OURO

    1.796,80
    -5,00 (-0,28%)
     
  • BTC-USD

    39.822,21
    +5.382,06 (+15,63%)
     
  • CMC Crypto 200

    946,76
    +31,27 (+3,42%)
     
  • S&P500

    4.418,85
    +7,06 (+0,16%)
     
  • DOW JONES

    35.119,39
    +57,84 (+0,16%)
     
  • FTSE

    7.025,43
    -2,15 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    26.192,32
    -1.129,66 (-4,13%)
     
  • NIKKEI

    27.833,29
    +285,29 (+1,04%)
     
  • NASDAQ

    15.116,50
    +18,50 (+0,12%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1049
    -0,0167 (-0,27%)
     

ANS pode definir reajuste negativo e baratear até 8% planos de saúde

·1 minuto de leitura
Imagem ilustrativa. (Foto: Getty Images)
Imagem ilustrativa. (Foto: Getty Images)
  • ANS define nesta quinta índice de correção anual de planos de saúde individuais.

  • Correção deve ser negativa, de até 8%, por conta de queda no uso de serviços.

  • Queda se deu por diminuição de procedimentos ambulatórias e cirurgias eletivas.

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) define nesta quinta-feira (8) o índice de correção anual das mensalidades de planos de saúde individuais, sob sua regulamentação.

Leia também:

E segundo reportagem do jornal O Globo, essa correção deve vir com uma queda de até 8% no valor dos contratos. Isso por conta de uma queda no uso dos serviços pelos usuários.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

Ou seja, na prática, o ajuste representaria um barateamento dos planos de saúde individuais, excetuados aqueles contratados por empresas em planos para funcionários.

De acordo com o diretor da ANS, Paulo Rebello, em fala ao Globo, houve no ano passado uma queda de 82% para 74% no uso de serviços de planos de saúde pelos usuários, entre eles consultas e cirurgias.

Segundo a reportagem, a causa dessa queda no uso, ou de sinistralidade, foi motivada pela pandemia do novo coronavírus, por mais contraditório que isso pareça. O que houve é que, apesar de a Covid-19 ser uma crise médica, diminuiu o gasto com procedimentos ambulatórias e eletivos.

Apesar de as operadoras terem tentado reverter o índice negativo, recorrendo ao Ministério da Economia, elas não foram bem sucedidas.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos