Mercado fechará em 4 h 43 min
  • BOVESPA

    113.475,46
    -702,09 (-0,61%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    55.164,01
    +292,65 (+0,53%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,25
    +1,24 (+1,53%)
     
  • OURO

    1.929,00
    -1,00 (-0,05%)
     
  • BTC-USD

    22.925,61
    -257,45 (-1,11%)
     
  • CMC Crypto 200

    519,30
    -7,88 (-1,50%)
     
  • S&P500

    4.060,43
    +44,21 (+1,10%)
     
  • DOW JONES

    33.949,41
    +205,57 (+0,61%)
     
  • FTSE

    7.756,42
    -4,69 (-0,06%)
     
  • HANG SENG

    22.688,90
    +122,12 (+0,54%)
     
  • NIKKEI

    27.382,56
    +19,81 (+0,07%)
     
  • NASDAQ

    12.046,50
    -60,25 (-0,50%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5148
    -0,0049 (-0,09%)
     

ANP não foi contactada mas espera reunião com governo de transição na próxima semana

Sede da reguladora ANP no Rio de Janeiro

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A reguladora ANP ainda não foi contactada pela equipe de transição, mas tem a expectativa de que uma reunião seja agendada para a próxima semana, afirmou nesta quarta-feira o diretor-geral da autarquia, Rodolfo Saboia.

"Estamos aguardando para em breve um contato", disse Saboia, ao participar de evento na Fundação Getulio Vargas (FGV), no Rio de Janeiro.

Segundo ele, em um primeiro encontro a agência deverá apresentar a agenda regulatória e se colocar à disposição do novo Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) que vier a ser constituído.

O diretor-geral disse ainda que a ANP planeja lançar em 16 de fevereiro, já no novo governo, um sistema de monitoramento diário de estoques e suprimento de combustíveis, desenvolvido ao longo deste ano.

Chamado de Sistema de Monitoramento de Abastecimento de Combustíveis (Simac), o programa terá ainda informações sobre os suprimentos que chegam via importação, apontou ele.

A necessidade de um programa como esse, segundo o diretor-geral, surgiu a partir da atuação de múltiplos agentes no suprimento de combustíveis no país além da Petrobras.

"Foi uma necessidade gerada pela abertura de mercado de downstream, refinarias que deixaram de ser da Petrobras. Antigamente, você tinha um problema de abastecimento, ligava para a Petrobras. Agora ela não é mais o único agente, ela deixou de ser responsável pelo abastecimento", disse Saboia.

"Precisamos desenvolver um sistema por conta dessa diversidade de agentes".

A iniciativa permitirá que a ANP tenha informações mais atualizadas sobre como está o abastecimento do país. Segundo Saboia, antes as empresas tinham 15 dias após o final do mês para informar os seus estoques. Agora o acompanhamento será diário.

(Por Marta Nogueira e Rodrigo Viga Gaier)