Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.690,17
    +1.506,22 (+1,35%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.004,19
    -373,28 (-0,80%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,17
    +0,34 (+0,53%)
     
  • OURO

    1.689,00
    -11,70 (-0,69%)
     
  • BTC-USD

    46.817,70
    -3.972,75 (-7,82%)
     
  • CMC Crypto 200

    936,04
    -51,17 (-5,18%)
     
  • S&P500

    3.768,47
    -51,25 (-1,34%)
     
  • DOW JONES

    30.924,14
    -345,95 (-1,11%)
     
  • FTSE

    6.650,88
    -24,59 (-0,37%)
     
  • HANG SENG

    28.733,53
    -503,26 (-1,72%)
     
  • NIKKEI

    28.375,20
    -554,91 (-1,92%)
     
  • NASDAQ

    12.352,25
    -102,75 (-0,82%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7821
    -0,0038 (-0,06%)
     

ANP inicia apuração após rompimento paralisar gasoduto no Mato Grosso

·1 minuto de leitura
Edifício-sede da ANP, no Rio de Janeiro (RJ)

SÃO PAULO (Reuters) - A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) está apurando causas do rompimento de um gasoduto no Mato Grosso no fim de semana, disse a reguladora nesta segunda-feira, ao confirmar danos a uma infraestrutura que atende à demanda do Estado e de uma termelétrica da Âmbar Energia.

A ANP informou que o incidente ocorreu no sábado em gasoduto operado pela GasOcidente e que uma equipe de sua superintendência de infraestrutura e movimentação foi enviada ao local no domingo "para verificar o ocorrido".

"Até o momento não dispomos de informações sobre previsão de retorno à operação do gasoduto. A entrega de gás natural à UTE Cuiabá se encontra paralisada", disse a agência após questionamentos da Reuters.

A usina de Cuiabá pertence à Âmbar, empresa de energia da empresa de investimentos J&F, controladora da JBS.

Procurada, a Âmbar não comentou.

Mas a Âmbar compartilhou com a Reuters uma nota da GasOcidente segundo a qual a empresa "identificou uma perfuração no gasoduto e fechou automaticamente as válvulas de segurança do trecho afetado, interrompendo o fluxo de gás".

"O incidente ocorreu em uma área rural e o gás não representa risco ambiental", adicionou a companhia, segundo a nota.

Equipes da empresa estão trabalhando no local para reparos, ainda de acordo com o comunicado.

A ANP esclareceu, no entanto, que a distribuidora de gás local MTGás segue recebendo entregas pelo duto, uma vez que havia uma quantidade remanescente de gás na estrutura após a válvula de isolamento afetada.

"Estimamos que a entrega à distribuidora poderá se manter ainda nos próximos dias", afirmou.

A termelétrica de Cuiabá tem capacidade de gerar até 480 megawatts, segundo informações do site da Âmbar.

(Por Luciano Costa)