Mercado fechado

ANP autoriza Alvopetro a operar gasoduto de projeto pioneiro na Bahia

André Ramalho

O gás será comercializado com a distribuidora Bahiagás A Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) publicou nesta terça-feira (30/6), no Diário Oficial da União (DOU), a autorização definitiva para operação do gasoduto Caburé, da Alvopetro. O empreendimento abastecerá a Unidade de Processamento de Gás Natural (UPGN) Caburé, em Mata de São João (BA) — a primeira unidade do tipo construída pela iniciativa privada no país. A partir da UPGN, o gás será comercializado com a distribuidora Bahiagás.

Previsto para entrar em operação amanhã (01/07), o gasoduto Caburé faz parte do sistema de escoamento da produção de quatro campos na Bacia do Recôncavo, na Bahia. Caburé e Caburé Leste são operados pela Alvopetro, enquanto os campos Cardeal do Nordeste e Cardeal do Nordeste Leste são operados pela Imetame. As quatro concessões formam uma área individualizada de produção, operadora por sua vez pela Imetame.

A individualização de uma área ocorre sempre que uma jazida petrolífera ultrapassa os limites de seu contrato original. Um AIP estabelece um projeto único de desenvolvimento da produção para a jazida individualizada, como um todo, de forma a evitar a produção predatória.

O gás produzido nesses quatro campos terá dois destinos: a termelétrica Prosperidade 1 (28 megawatts), da Imetame, em Camaçari (BA), e a UPGN Caburé.

Segundo a ANP, o gasoduto Caburé aumentará bastante a capacidade de escoamento do gás produzido na área individualizada. Até hoje, a maior média mensal escoada foi de 140 mil metros cúbicos por dia (m3/d) para a térmica da Imetame. Para efeitos de comparação, o contrato entre Alvopetro e Bahiagás garante fornecimento de 300 mil m3/d, triplicando o aproveitamento de gás da área. A vazão de gás a ser escoada pelo novo gasoduto corresponderá a um aumento de 25% no gás disponibilizado na Bacia do Recôncavo.