Ano de 2012 bate recorde de jornalistas mortos com 119 casos

Viena, 22 nov (EFE).- Pelo menos 119 jornalistas morreram neste ano no mundo todo durante o exercício da profissão, o número mais alto desde que em 1999 o Instituto Internacional de Imprensa (IPI) começou sua apuração, informou nesta quinta-feira em Viena este organismo.

O IPI divulgou estes números durante um debate em Viena organizado por esta associação e pelo Serviço de Informação das Nações Unidas.

O conflito sírio é o responsável pelo maior número de mortes, com um total de 36, enquanto 16 jornalistas morreram na Somália, onde ninguém foi julgado por estas mortes.

México, Paquistão e Filipinas também seguem sendo locais nos quais exercer o jornalismo implica graves riscos.

No México morreram neste ano sete jornalistas, cinco deles no estado de Veracruz, a região mais perigosa para os representantes da imprensa.

Segundo Frank la Rue, relator especial da ONU para a proteção da liberdade de imprensa, ocorrem uma piora das condições de segurança para os jornalistas, especialmente em áreas onde há conflitos não declarados, como o México.

"Qualquer ataque contra a imprensa deveria ser considerado um ataque contra a própria democracia", comentou por sua parte Roland Bless, assessor em liberdade de imprensa da Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa.

Durante a discussão também foi abordada a necessidade de proteger ativistas midiáticos, blogueiros e jornalistas cidadãos que em alguns casos, como na Síria, substituem os informadores tradicionais.

Nesta quinta-feira foi confirmado o assassinato, em Campo Grande (MS), do jornalista Eduardo Carvalho, proprietário do site "Última Hora News" e que desde o ano passado recebia ameaças de morte pelas denúncias que publicava.

Segundo as estatísticas da ONG Repórteres sem Fronteiras (RSF), o novo homicídio eleva para nove o número de profissionais de veículos de comunicação assassinados no Brasil desde o início do ano.

A organização civil "Campanha Emblema de Imprensa" (PEC, na sigla em inglês) considera o Brasil o quarto país mais perigoso no mundo para jornalistas, atrás apenas da Síria, Somália e México. EFE

cotações recentes

 
Cotações recentes
Símbolo Preço Variação % Var 
Seus tickers vistos mais recentemente aparecerão aqui automaticamente se você digitou um ticker no campo "Inserir símbolo/empresa" na parte inferior deste módulo.
É necessário permitir os cookies do seu navegador para ver as cotações mais recentes.
 
Entre para ver as cotações nos seus portfólios.

Resumo do Mercado

  • Moedas
    Moedas
    NomePreçoVariação% Variação
    3,10830,000,00%
    USDBRL=X
    3,2936+0,003+0,09%
    EURBRL=X
    0,9431-0,0013-0,14%
    USDEUR=X
  • Commodities
    Commodities
    NomePreçoVariação% Variação

Destaques do Mercado

  • Líderes em Volume
    Líderes em Volume
    NomePreçoVariação% Variação
    31,51-0,14-0,44%
    VALE5.SA
    15,18-0,38-2,44%
    PETR4.SA
    4,93-0,10-1,99%
    USIM5.SA
    5,86+0,15+2,63%
    GOAU4.SA
    16,40-0,52-3,07%
    LAME4.SA
  • Altas %
    Altas %
    NomePreçoVariação% Variação
    10,89+1,29+13,44%
    TEKA4.SA
    4,18+0,45+12,06%
    BEES4.SA
    4,24+0,43+11,29%
    LFFE3.SA
    7,41+0,71+10,60%
    CRPG5.SA
    28,00+2,60+10,24%
    BRSR3.SA
  • Baixas %
    Baixas %
    NomePreçoVariação% Variação
    16,01-3,99-19,95%
    ITEC3.SA
    1,14-0,25-17,99%
    IGBR3.SA
    0,69-0,11-13,75%
    BBTG12.SA
    29,00-4,00-12,12%
    CEED3.SA
    3,33-0,45-11,90%
    CEDO4.SA