Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.227,09
    +94,56 (+0,09%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.412,47
    +211,88 (+0,50%)
     
  • PETROLEO CRU

    44,95
    -0,76 (-1,66%)
     
  • OURO

    1.812,90
    +1,70 (+0,09%)
     
  • BTC-USD

    17.122,69
    -856,48 (-4,76%)
     
  • CMC Crypto 200

    335,96
    -34,56 (-9,33%)
     
  • S&P500

    3.629,65
    -5,76 (-0,16%)
     
  • DOW JONES

    29.872,47
    -173,77 (-0,58%)
     
  • FTSE

    6.362,93
    -28,16 (-0,44%)
     
  • HANG SENG

    26.819,45
    +149,70 (+0,56%)
     
  • NIKKEI

    26.537,31
    +240,45 (+0,91%)
     
  • NASDAQ

    12.159,50
    +7,25 (+0,06%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3405
    +0,0028 (+0,04%)
     

ANM interdita três barragens em Mato Grosso por risco iminente de rompimento

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO (Reuters) - A Agência Nacional de Mineração (ANM) interditou na quinta-feira três barragens no município de Pontes e Lacerda, no Mato Grosso, após entender que as instalações apresentavam risco iminente de rompimento, informou o órgão regulador em comunicado nesta sexta-feira.

Segundo a ANM, as barragens de mineração pertencem à Cooperativa de Garimpeiros de Pontes e Lacerda (Compel), que será obrigada a realizar obras para redução do risco de ruptura.

A ação veio após alertas do sistema de gestão de barragens da agência na terça-feira, quando as barragens de Campos e Berion entraram no chamado "nível 1" de emergência.

Durante a vistoria nas unidades, foram constatadas anomalias também na barragem Elvo-1, acrescentou a ANM, que disse ter verificado registros de erosões, surgências nos taludes, trincas, abatimentos e borda livre deficiente nas barragens.

"Na barragem Campos, o que mais chamou atenção e mereceu ação imediata foi uma linha de saturação no talude de jusante, que se estendia por cerca de 180 metros. A anomalia, se não tratada, fatalmente resultaria em rompimento da estrutura", disse em nota o gerente de Segurança de Barragens da ANM, Luiz Paniago.

Além da interdição, a ANM afirmou que exigiu a instalação imediata de bombas de alta performance, visando reduzir o nível de efluentes dos reservatórios, bem como obras de reforço e adequação técnica da drenagem das instalações.

Uma frente de lavra também foi interditada, como medida preventiva, ainda de acordo com a agência.

A Reuters não conseguiu contato imediato com a Compel para comentários.

(Por Gabriel Araujo)