Mercado fechado

A gigante acordou! Anitta sobe o tom para enfrentar o machismo nas redes sociais

Amanda Caroline
·3 minuto de leitura
A cantora não fecha os olhos para comentários que relativizam estupro (Foto: Reprodução/Instagram @anitta)
A cantora não fecha os olhos para comentários que relativizam estupro (Foto: Reprodução/Instagram @anitta)

2020: o ano em que a “gigante” acordou. Depois de começar a se intrometer (positivamente) no cenário político do país, Anitta subiu o tom para enfrentar o machismo nas redes sociais. Hoje, a cantora reconhece a importância de seus posicionamentos e, indignada com o caso Mariana Ferrer, decidiu não fechar os olhos para comentários que relativizam o estupro.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

A artista se revoltou com o escritor Rodrigo Constantino — o ex-comentarista da Jovem Pan afirmou que se sua filha fosse estuprada nas mesmas circunstâncias apresentadas pela influenciadora digital, deixaria a jovem de castigo e não denunciaria o homem culpado — e não parou mais. Ainda bem.

Leia também

Uma das várias respostas da “poderosa” para Constantino foi a seguinte:

A cantora também lamentou pela filha de Rodrigo Constantino, que admitiu que ficou abalada com a fala do pai. Veja só:

E não demorou para ela ser atacada por haters machistas depois das declarações endereçadas ao escritor. Anitta chamou atenção para as pessoas que se escondem atrás de um avatar para atacar o próximo e rebateu muitos com uma frase simples (e certeira). “Bota a cara, macho alfa”, dispara.

Chamada de “lixo”, “vagabunda”, “idiota que só sabe rebolar” e outras coisas, a carioca respondeu à altura e mostrou que está mais empoderada do que nunca.

O bate-boca com haters deu pano para manga. Olha só:

Aplaudida por usar sua personalidade forte para defender as mulheres, Anitta finalizou explicando por que gastou seu tempo rebatendo comentários agressivos.

“Quem tem coragem de botar a cara a tapa para afrontar essas pessoas talvez passe algum estímulo de força para quem sofre agressão e tem medo de expôr por saber que vai ser reprimido em casa. Vai levar a culpa de algo que fica por anos e anos na cabeça da pessoa como um trauma e custa muito trabalho mental pra curar. Por último: não xinguem a mulher. Apenas”, escreve. É isso aí!

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube

Veja mais: sem roupa, Anitta passa “perrengue” em entrevista por vídeo