Mercado abrirá em 9 h 45 min
  • BOVESPA

    110.334,83
    +299,66 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.784,58
    +191,67 (+0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    59,65
    -0,99 (-1,63%)
     
  • OURO

    1.710,70
    -12,30 (-0,71%)
     
  • BTC-USD

    49.354,49
    +2.942,95 (+6,34%)
     
  • CMC Crypto 200

    989,70
    +61,47 (+6,62%)
     
  • S&P500

    3.901,82
    +90,67 (+2,38%)
     
  • DOW JONES

    31.535,51
    +603,14 (+1,95%)
     
  • FTSE

    6.588,53
    +105,10 (+1,62%)
     
  • HANG SENG

    29.265,66
    -186,91 (-0,63%)
     
  • NIKKEI

    29.554,75
    -108,75 (-0,37%)
     
  • NASDAQ

    13.243,25
    -36,50 (-0,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7827
    -0,0129 (-0,19%)
     

Anfitrião de festa para Arthur Lira com mais de 300 pessoas é reu por fraude tributária

Redação Notícias
·3 minuto de leitura
Brazilian Deputy Arthur Lira (C) celebrates after being elected as president of Brazil's Lower House in Brasilia on February 1, 2021. - Brazil's Congress on Monday elected Rodrigo Pacheco and Arthur Lira as Senate and Lower House's speakers respectively, both allies of far-right President Jair Bolsonaro. (Photo by Sergio Lima / AFP) (Photo by SERGIO LIMA/AFP via Getty Images)
O produtor e comerciantes de frutas é acusado pelo Ministério Público (MP) de se apropriar ilegalmente de R$ 3,8 milhões. (Foto: Photo by Sergio Lima / AFP)

O empresário catarinese Marcelo Perboni, anfitrião da festa da vitória do novo presidente da Câmara Arthur Lira (Progessistas-AL) que reuniu cerca de 300 pessoas em sua luxuosa casa no Distrito Federal durante a pandemia do coronavírus, é acusado pelo Ministério Público (MP) de se apropriar ilegalmente de R$ 3,8 milhões.

Segundo o órgão, o produtor e comerciantes de frutas é denunciado por fraudar a fiscalização tributária ao omitir receitas relativas a saídas de mercadorias.

“Marcelo Perboni, na condição de beneficiário dos lucros da atividade empresarial, apropriou-se de créditos de ICMS vedados pelo ordenamento jurídico, inserindo-os indevidamente em documentos e livros fiscais”, apontou o MP.

Leia também:

De acordo com o jornal Estadão, Perboni recorreu ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) e ao Supremo Tribunal Federal (STF) para trancar o caso, mas a liminar foi negada. O empresário é réu em ação penal.

Mas o advogado Marcelo Bessa, que defende o comerciante, disse ao jornal que o crédito tributário já foi pago e que a ação aguarda um desfecho na Justiça. “Estamos discutindo o débito, mas os valores já estão integralmente depositados, com juros e correção”, afirmou.

Procurado, a assessoria de Lira disse ao jornal Estadão que o presidente da Câmara “não foi responsável pela organização do evento”.

A amiga de Daniela Perboni, mulher do empresário, a deputada Celina Leão (Progressistas-DF), ainda disse que pediu a casa para abrigar a festa por ser um espaço amplo e arejado.

Festa com ministros e desafetos de Bolsonaro

O deputado federal Arthur Lira (PP-AL), eleito presidente da Câmara dos Deputados na segunda-feira (1º), festejou a vitória com aliados em uma festança em mansão do Lago Sul com comida e bebida à vontade e música ao vivo. Aguardado para comemorar a vitória do aliado, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) não compareceu, mas ligou para Lira para dar os parabéns.

A comemoração foi até as quatro horas da manhã e uniu figuras carimbadas do Centrão, militantes bolsonaristas e desafetos de Jair Bolsonaro, como a deputada Joice Hasselman (PSL-SP). Amigo do ex-presidente da Câmara, Rodrigo Maia, Alexandre Baldy, secretário de Transportes de São Paulo, também prestigiou Lira.

Estavam presentes Fábio Faria, ministro das Comunicações, e Luiz Eduardo Ramos, ministro da Secretaria de Governo, responsável pela articulação política e alvo de constantes críticas de Lira e aliados nos bastidores, apesar de ter liderado no Planalto as negociações de cargos e emendas para interferir no processo eleitoral da Câmara. Também compareceram os secretários especiais de Comunicação, Fabio Wajngarten, e o de Pesca, Jorge Seif.

Apesar da pandemia, havia centenas de convidados em um salão e praticamente ninguém usava máscara. Alguns poucos optaram pelo acessório com o símbolo de Arthur Lira.

O clima era de êxtase, já que Lira ganhou a eleição com 302 votos, em primeiro turno. O novo presidente da Câmara, no entanto, dizia que esperava ter chegado a 330 votos. Festejado por políticos de diversos matizes, Lira prometeu que vai conversar com todos, incluindo Rodrigo Maia.

Os convidados se refestelaram com camarões, paella e massas sortidas no buffet. Nas palavras de um integrante do governo presente na festa, se o adversário Baleia Rossi (MDB-SP) tivesse ganhado a eleição, "todos estariam de máscara".